quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Árvore de Natal com cilindros

Fonte: Portal do Artesanato
Por Aline Ribeiro | Fotos: Rodrigo Estrella e André Wittner | Produção Sheila Rodrigues | Criação e execução: Maria Del Carmen

Para fazer esta árvore de cilindros, a artesã Maria Del Carmen aproveitou latas de batatinhas e forrou-as com tecido natalino




Veja o passo a passo

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

O que os partidos políticos prometem quanto à inserção do jovem no Mercado de Trabalho

São Paulo, 19/09/18 – Instituto Pedro Cozzi – IPC 
por Nadia Cozzi


O Teatro do CIEE – Centro de Integração Empresa Escola recebeu hoje, representantes dos candidatos à presidência da República para um debate sobre políticas públicas para a inserção do jovem no mundo de trabalho. 


Compareceram
 Pérsio Arida (PSDB), Marcio Pochmann (PT), Prof. Christian Lohbauer, candidato a vice-presidente (Novo), José Marcio Camargo (MDB). 

Eduardo Gianetti da Fonseca (Rede), Paulos Guedes (PSL) e Nelson Marconi (PDT) declinaram do convite.


A mediação sempre perfeita do jornalista William Waack. (Painel WW)

Além de contar com o teatro lotado, estudantes de todo País puderam acompanhar o debate, em tempo real, através das redes sociais da entidade e também pelo seu Portal.

A abertura dos trabalhos coube a Humberto Casagrande, superintendente Geral do CIEE, que se disse muito preocupado com o momento por que passa o nosso País. O CIEE atende 300 mil jovens, dos quais 220 mil são estagiários e 80 mil pertencem ao Projeto Aprendiz Legal, e mais outros 3 milhões estão em fila de espera. 


O que esperar dos Partidos em relação à inserção dos jovens no Mercado de Trabalho?

Pérsio Arida (PSDB) – quando a economia tem problemas os principais atingidos são os jovens, os menos favorecidos, os menos educados.

Falta orientação aos jovens de onde existem oportunidades, capacitação e adequação às demandas do mercado de trabalho.

José Marcio Camargo (MDB) – estamos numa revolução sem volta, a tendência clara é que o futuro é de menos geração de empregos e mais postos de trabalho.

A reforma do ensino médio é necessária e vai mudar a forma de como o jovem entra no mercado de trabalho, o estudo deve ser mais profissionalizante.

Marcio Pochmann (PT) – a situação é preocupante com o aumento da taxa de desemprego, desânimo e esvaziamento no ensino. É necessário ampliar oportunidades na Construção Civil, aumentar investimentos e fomentar a industrialização no País. Abrir novas bases.

Prof. Christian Lohbauer, candidato a vice-presidente (Novo) – A base está numa boa educação, menos dependência de professores e mais busca de conhecimentos.

Necessária a flexibilização do trabalho, a reforma trabalhista trouxe um pequeno avanço. O caminho está no Empreendedorismo, e para isso necessário combater a burocracia absurda que temos no Brasil. Criar condições para que ideias sejam colocadas em prática rapidamente, facilitando a abertura de empresas próprias.

O Brasil tem o dobro da média global de desemprego entre os jovens em comparação com outros países:

PSDB - maior capacitação do jovem, mudanças no ensino médio, adequando ao Mundo digital que está aí.

MDB – Desonerar a folha de pagamento do 1º emprego.

PT – Novo rumo, respeito à Democracia, revogar a mudança na Lei Trabalhista. Ensino médio nova articulação a cargo do Governo Federal.

NOVO – maior flexibilidade entre empregados e empregadores, facilitar a abertura e fechamento de empresas, capacidade de optar pelo seu próprio negócio

Lei do Aprendiz

Todos foram unânimes em dizer que é uma boa Lei, que deveria até ser melhorada, mas que apenas 40% das Empresas obedece a Legislação.

PT aponta que para pequenas e médias Empresas, que se encontram em dificuldade, cumprir a Lei é oneroso e complicado.

O NOVO lembra que a Lei deveria se tornar mais interessante, pois muitas empresas ainda enxergam o aprendiz como gasto de tempo, dificuldade. O problema não é de força de Lei e sim de conhecimento.

Filantropia

PSDB – temos muitos programas sociais, mas que são pouco analisados em termos de resultados. Todos deveriam pertencer ao mesmo Ministério, para que se possa analisar quais os que dão certo e os que não. A iniciativa privada pode ajudar, aqui a terceirização já mostrou bons resultados como no caso de alguns Hospitais do SUS.

MDB – Filantropia nada tem a ver com o Estado, não esperar apoio. Iniciativa individual ou de uma organização que assume uma causa com seu próprio dinheiro.

PT: Importante na busca de aquecimento da Economia e redução das desigualdades. Não confundir com assistencialismo.

NOVO: Excelente saída para reduzir as desigualdades. Nos EUA é uma prática quase que diária, mas no Brasil, com impostos a 40%, com um Estado perdulário, corrupto fica difícil. Aqui se faz necessária uma mudança cultural.

As Políticas Sociais como escolas privadas credenciadas pelo Governo ajudariam na redução de pressão sobre as escolas públicas poderem se modificar e atualizar, isso é claro com controle de resultados.

Previdência:

PSDB – corte de privilégios e injustiças

MDB – Brasil investe em idosos e não em jovens.

PT – Sistema de Seguridade Social: atuação do Estado do nascimento até a morte, contemplando saúde e também aposentadoria e pensão.

NOVO – combater pequeno grupo de privilegiados

Ensino / Capacitação 

PSDB / MDB - ambos concordam com a adequação do ensino conforme a região e as oportunidades. Capacitação do professor, falta qualidade de ensino, a maneira de ensinar deve mudar, tornar mais interessante, diminuir evasão. O MDB ressalta que se gasta 5 vezes mais com o ensino superior do que com o fundamental, quando se está no auge da capacidade de aprender.

PT - Propostas de acordo com a realidade do País, contra a reforma a favor da articulação entre Governo Federal e Estados (cooperação)

NOVO – Modelo educacional criado desde os anos 70 sob a tutela do Estado que não consegue entregar o que se propõe. Foco aprendizado autodidata com ênfase no Inglês. O Estado não tem gerenciar o ensino: sem professores capacitados, sem verbas.

Jovens nas Favelas

PSDB – foco na gratuidade, procurar o custo benefício, mais barato para o Governo, mais produtivo para o aluno.

MDB - problema maior nesse caso é a violência, não conseguem frequentar as aulas. Programa bônus para utilização de creches privadas – Universalizar as creches.

PT – Educação integral e integrada, atividades que envolvam cultura, entretenimento e construção de uma nova sociedade. Regime de Cotas e espaços de sociabilidade.

NOVO – Citou o Projeto ORPAS - que defende a cultura (artes, cênicas, visuais, música, etc) como uma ferramenta de transformação, a fim de proporcionar oportunidade, promoção humana, ampliação de repertório cultural, mitigação de riscos sociais (gravidez precoce, desemprego entre crianças e
adolescentes, violência, bullying, etc). Iniciativas próprias, sem a tutela do Governo.

Que reforma é essencial para o novo Governo?

PSDB - Reforma Constitucional (Previdência, Trabalhista e Política). Maior flexibilidade, abertura econômica, menos paternalismo, menos burocracia, sem depender das benesses do Estado.

MDB – Reforma da Previdência Social (acabar com os privilégios de poucos)

PT – Construção de um novo estatuto do trabalho, maior diversidade no Mercado, para assalariados e não assalariados. Seguridade Social.

NOVO – Reforma da Previdência e Tributária.

Apesar das muitas questões, o tempo exige o final do evento que segundo o Centro de Integração Empresa-Escola – CIEE reforça seu compromisso em reverberar assuntos de interesse da sociedade brasileira.

William Waack termina o evento elogiando a objetividade e civilidade dos participantes, respeitando as opiniões muitas vezes divergentes. 

terça-feira, 18 de setembro de 2018

‘Música Nos Hospitais’ Leva Concerto Gratuito Ao Instituto Dante Pazzanese

Fonte: SEGS
Terça, 18 Setembro 2018 18:24
Escrito ou enviado por Pedro Sant'Anna



Sob regência do médico Samir Rahme, a apresentação da Orquestra do Limiar acontece no dia 26 de setembro

Iniciativa da Associação Paulista de Medicina – APM, com aprovação do Programa Nacional de Cultura (Pronac), do Ministério da Cultura, e parceria do Aché Laboratórios Farmacêuticos, o projeto “Música nos Hospitais” comemora 13 anos de muito sucesso e segue sua programação em 2018.

Desta vez, o público poderá conferir as apresentações da Orquestra do Limiar no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, localizado na Vila Mariana, em São Paulo. Dia 19 de setembro, às 12h, será realizado um ensaio aberto, na recepção do prédio III; já no dia 26 de setembro, às 12h, acontecerá o concerto. Sob a regência do maestro e médico Samir Rahme, a apresentação poderá ser acompanhada, primeiramente, no hall da instituição e, depois, seguirá para os corredores, garantindo que a música alcance também aos pacientes que não podem se deslocar.

Um dos principais objetivos da iniciativa é deixar a rotina hospitalar mais leve, levando a alegria e os benefícios da música aos pacientes, funcionários e frequentadores. Além disso, visa proporcionar contato com a cultura por meio da realização de concertos de música erudita e instrumental.

O projeto tem programação 100% gratuita e, até o fim do ano, terá passado por 13 instituições nos Estados de São Paulo, Bahia e Ceará.

O projeto - Desde 2004, o Música nos Hospitais foi realizado 176 vezes, em 21 cidades espalhadas pelo Brasil, contemplando 68 hospitais e reunindo cerca de 60 mil pessoas – entre médicos, enfermeiros, funcionários, pacientes e familiares. Ao longo desses anos, a APM, junto aos parceiros, buscou impactar positivamente o dia a dia das pessoas nos hospitais e, desta forma, ampliar também o gosto pela música instrumental.

Estudos publicados pela Associação Americana de Musicoterapia (American Music Therapy Association - AMTA) e pela Federação Mundial de Musicoterapia (World Federationof Music Teraphy - WFMT) indicam os efeitos positivos da música no funcionamento do organismo. Hoje, já se sabe que as atividades musicais melhoram o humor, potencializam a expressão e favorecem o aprendizado.

Formação da Orquestra do Limiar
Regência: Samir Rahme
Spalla: Marcos Scheffel
Violinos: Kleberson Buzo, Gabriel Gorun, Luiz Gustavo Nascimento, Marcela Sarudiansky, Wassi Carneiro, Jair Guarnieri, Tiago Paganini e Nikolay Iliev Iliev
Violas: Everton de Souza e Daniele Benedecte
Violoncelos: Fábio Petrucelli e Mayara Alencar
Contrabaixo: Thiago Hessel

‘Música nos Hospitais’ • Apresentação no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia
Data: 26 de setembro (quarta-feira)


Hora: 12h
Onde: Av. Dr. Dante Pazzanese, 500, Vila Mariana, São Paulo (na Recepção do Prédio III)

Sobre a Orquestra do Limiar


Fundada em 2002 pelo maestro e médico Samir Rahme formado em Composição e Regência na UNESP, que fez sua estreia em um simpósio médico realizado na Sociedade Antroposófica, em São Paulo. Desde a sua criação, e sob o lema “Música para a Alma”, vem apresentando concertos de música instrumental e erudita em congressos, eventos e hospitais, permitindo a milhares de pessoas a oportunidade de entrar em contato com obras clássicas, elevando, dessa forma, seu estado de espírito com o poder curativo da música.

Sobre a Associação Paulista de Medicina

Fundada em 1930, a APM é uma entidade representativa dos médicos do Estado de São Paulo. Sem fins lucrativos, de utilidade pública e com cerca de 30 mil associados, tem o objetivo de identificar e enfrentar os grandes desafios da medicina na atualidade. Além do Música nos Hospitais, a APM apoia diversos programas culturais abertos ao público e gratuitos. São exposições de arte, palestra sobre história da arte, programas musicais que vão do erudito ao jazz, cinema com debates e para a terceira idade. Realizou as exposições itinerantes “Além da Pele, A Beleza da Alma e da Família” e “Hiroshima e Nagasaki: Um Agosto para Nunca Esquecer!”.Oferece, ainda, encontros de lazer e cultura, escola de artes, biblioteca, pinacoteca e Museu de História da Medicina.

Sobre o Aché Laboratórios Farmacêuticos

O Aché é uma empresa 100% brasileira. Com 53 anos de atuação no mercado farmacêutico, tem como proposta levar mais vida às pessoas, onde quer que elas estejam. Conta com mais de 4.700 colaboradores, todos engajados em concretizar o propósito da companhia, orientando-se pelos valores de integridade, respeito, ousadia, inovação, excelência e sustentabilidade. Por meio de leis de incentivo, apoia iniciativas voltadas à saúde, por entender que esta é uma maneira de melhorar a qualidade de vida das pessoas.

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Comida com narrativa


Hummmm que delícia de feira. Vale a pena dar uma conferida!


Entre os dias 15 e 16 de setembro acontece em São Paulo a primeira edição do Comida de Herança, evento que traduz a pluralidade gastronômica da cidade

Nos últimos 10 anos, o número de imigrantes no Brasil mais que dobrou. E a marca desta nova imigração se reflete principamente na culinária. E com abertura à pluralidade, São Paulo começou a incluir essa nova gastronomia em seu dia a dia, a exemplo do que aconteceu com a comida japonesa, italiana, chinesa.

Pensando nisso, a produtora Fawsia Borralho criou a feira “Comida de Herança” em parceria com Cris Rosenbaum, responsável pela curadoria e produção da "Feira na Rosenbaum". O evento acontece nos dias 15 e 16 de setembro no Museu da Imigração do Estado de São Paulo.

Com cerca de 50 expositores, a Comida de Herança terá um grande leque de sabores. Mas não é só. “Nas tendas, a conversa não será somente sobre receitas. A ideia é que se fale sobre as histórias que traduzem essa culinária. É uma comida com narrativa”, diz Fawsia. Os pratos terão valores até R$ 35,00.

Alguns expositores:


Patrícia Polato: Especialista em charcutaria, ela apresenta sua paella com linguiça de frutos do mar.

Móoca Pizza - Pizza ao talho ( pedaços) formato quadrado e longa fermentação ao estilo romano, no seu cardápio consta uma pizza com lâminas de batata, queijo caccio cavalo, molho de tomate e alecrim.

    Missô Origem - Traz um missô feito à base de grão de bico com sabor inigualável. Pode ser consumido no missoshiro substituindo a soja e acrescentando um sabor novo. Também vai bem em legumes crus e torradinhas como entrada.

Quitute do Perutti - Seleciona azeitonas premium pelo mundo afora e tempera com um toque especial: muito azeite e mix de ervas com sabores ítalo-brasileiro. Para quem gosta de petiscos!

Due Fame - Italianíssimo, as massas são produzidas com ingredientes de primeira linha, grano duro, como o Agnolotti, recheada com cream cheese e raspas de limão siliciano. O cream cheese é uma adaptação à consistência do queijo mascarpone, da região da Lombardia. 




Abfo (Abre a boca e fecha os olhos). Receitas de família dos biscoitos doces, típicos da Toscana.






Capril do Bosque - Localizado na Serra da Mantiqueira, o pequeno laticínio produz 14 diferentes queijos de cabra. Alguns foram inspirados por queijos famosos no exterior, outros são queijos de autor, como Cacauzinho, Serra do Lopo e Coração em Brasa.






Rocca - O conceito da marca está totalmente ligado à produção artesanal, ao dia a dia da fazenda, ao trabalho no campo. A linha de doce de leite é feita com leite 100% produzido na fazenda da família no Sul de Minas.



Feira Na Rosenbaum terá espaços dedicados ao design, com trabalhos em madeira, porcelanas, cerâmicas, têxtil entre outros. Haverá também uma exposição de fotos com o tema "Expressão artística e afetiva sobre o cotidiano da comida". Entre os fotógrafos estão Debby Gram e Paulo Mancine.

Os visitantes também poderão participar dos talks. Luiz Rossini, que planta olivas e faz o azeite Rossini fará uma palestra intitulada "Azeite - qualidade, extração e maneiras de alteração do azeite". Daniela Leite, uma das idealizadoras do projeto Comida Invisível, vai falar sobre o assunto. O tema da palestra é "Desperdício e descarte dos alimentos da terra à mesa”. Jonathan Nuevo, do projeto Migraflix vai falar sobre “Raízes da cozinha - inserção social do imigrante através da qualificação".

Serviço:
Comida de Herança e Feira Na Rosenbaum -
Museu da Imigração Rua Visconde de Parnaíba, 1316 - Brás
Dias: 15/16 de setembro de 2018
Horário: 10h às 20h
Entrada: R$5,00 (crianças de até 5 anos não pagam)


+ Sobre Fawsia Borralho
Estudou moda, foi produtora de vários veículos, filmes e campanhas. Professora nas principais universidades de Moda no Brasil. Montou a Gibb, marca própria de bolsas e acessórios, sempre apaixonada por cozinha começou a transitar pela gastronomia. Criou “A Compoteira” marca de compotas com misturas inusitadas e devido sua necessidade de distribuição desenvolveu o projeto “Feira Sabor Nacional” na qual participou de sete edições. A partir daí não parou mais, fez uma trabalho de curadoria para “Feira na Rosenbaum” espaço gastronômico em março de 2018 onde nasceu essa parceria.

+ Sobre Cristiane Rosenbaum
Cristiane Miranda Rosenbaum estudava direito quando teve os primeiros contatos com a moda trabalhando em lojas como Fórum, Zoomp e Carmin. Trancou a faculdade e começou a estudar moda, passando pela primeira turma de moda do SENAC e depois pela Saint Martin – University of the Arts London. De volta ao Brasil passou a trabalhar como assistente de estilo na marca Huis Clos. Como estilista e coordenadora de estilo colaborou com marcas como Atitude, Side Walk, Siberian, Arezzo e Naka. Em 2003 montou, junto da sócia Tatyana Takasse, a marca de roupas infantis Santa Paciência. Em 2012 organizou a primeira Feira no escritório de design Rosenbaum com 100% da renda revertida para o projeto A Gente Transforma, criado pelo designer Marcelo Rosenbaum. A Feira seguiu um caminho por esses 5 anos de história guiada pelo olhar da Cris, que foi organicamente encontrando a identidade e o lugar onde a Feira deveria estar. Hoje, Cris continua se dedicando a produzir a fazer a curadoria de expositores da Feira na Rosenbaum.

+ Sobre Comida de Herança
O Comida de Herança tem como objetivo criar um diálogo através do consumo de novas culinárias e seus segredos, valorizando receitas passadas de geração após geração, uma herança que pode vir em vários formatos, informações, afetos, odores, convivências e família. Além disso existe o desejo de proporcionar maior acesso aos pequenos produtores e valorizar a diversidade da nossa cozinha. Criar um espaço em que se possa falar e pensar sobre os alimentos, trocar histórias e experiências.


www.facebook.com/comidadeheranca
www.instagram.com/comidadeheranca



Mais Informações
Circular Comunicação
carla@circularcomunicacao.com
nice@circularcomunicacao.com
Tels. (11) 3796-5059/5054

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Candidato, o que tem no seu prato?

CANDIDATO, O QUE
TEM NO SEU PRATO?

Peça para o seu(sua) candidato(a)
assinar a carta-compromisso da Aliança

A Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável quer que os candidatos(as) às Eleições 2018 insiram em suas plataformas o compromisso com políticas públicas para a promoção da alimentação adequada e saudável.

Para isso, elaboramos uma carta-compromisso para que eles(as) se comprometamcom as pautas prioritárias da Aliança em suas agendas governamentais.

Conheça a plataforma de mobilização da Aliança para as eleições. Nela você pode:
Enviar a carta-compromisso automaticamente para os presidenciáveis

Baixar a carta e enviar ou entregar aos candidatos(as) aos poderes Executivo e Legislativo, em nível federal e estadual

Acompanhar quem assinou a carta para cobrá-los(as) caso sejam eleitos(as)Participar e acompanhar o processo eleitoral é exercer a cidadania. 

Foz do Iguaçu dando exemplo de honestidade, barraca sem vendedor, você, paga e pega seu produto.


Barraca sem vendedor aposta na honestidade das pessoas em Foz do Iguaçu
O freguês paga e pega o produto livremente, sem caixa e nem vendedor para acompanhar.

Fonte: Portal da Cidade Foz
Postado em 01/09/2018 às 10:43 | Atualizado há 2 dias às 13:19




(Foto: Divulgação)

Com tantos casos de corrupção, furtos, golpes e assaltos, o brasileiro tem ficado cada dia mais descrente. No entanto, um projeto em Foz do Iguaçu está mostrando que ainda é possível acreditar na honestidade das pessoas. O cliente pega e paga o produto livremente, sem caixa e nem vendedor para acompanhar.

A "Barraca da Honestidade" é uma parceria entre a Justiça Federal e o 14° Batalhão de Polícia Militar. Aproveite para comprar verduras e legumes orgânicos do Horta Solidária a um preço especial. Todo o valor arrecado com a venda dos produtos será doado para entidades assistenciais da cidade.

A barraca funcionará todas as terças e quinta-feiras, das 08h às 11h, na Avenida General Meira, próximo a Polícia Militar.

domingo, 2 de setembro de 2018

Orgânicos Direto da Serra.

Para você que quer saber mais sobre os alimentos orgânicos e as marcas mais responsáveis, aí vão as dicas do Orgânicos Shop


sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Fonte: STOP FOOD WASTE



1 - FAÇA UMA LISTA



Uma família brasileira de três pessoas joga cerca de R$ 171 por mês em alimentos no lixo. Planeje-se antes de ir ao mercado. Faça uma lista e compre apenas aquilo que você sabe que será consumido.

2 - APRENDA A CONGELAR



Cada um de nós desperdiça cerca de 205g de alimento por dia.
Crie o hábito de congelar molhos, pães, vegetais e frutas ao invés de jogá-los no lixo.

3 - AJUDE A ECONOMIZAR ÁGUA



Desperdiçar 450g de carne é o mesmo que deixar a torneira do chuveiro ligada por 370 minutos. Quanto mais tempo a carne ficar em temperatura ambiente, mais rápido ela irá estragar. Por isso, deixe a carne por último quando for às compras e vá direto para casa para colocá-la na geladeira.

4 - RECUPERE SEUS VEGETAIS



Uma imersão rápida na água gelada durante 5-10 minutos pode dar nova vida aos vegetais murchos. Se ainda assim eles não voltarem, crie uma receita com vegetais cozidos. Você vai adorar!

5 - VEGETAIS COZIDOS DEMAIS TÊM SOLUÇÃO



Se os vegetais ficaram mais cozidos do que o esperado, aproveite para criar sopas e molhos. Basta jogá-los no liquidificador com caldo de sopa, leite ou creme. Legumes - como brócolis, cenouras, couve-flor e batatas - são excelentes para isso.

6 - EVITE QUEIMADURAS DE CONGELADOR



Você provavelmente não comerá uma baguete de uma só vez. Por isso, a dica é cortar o pão e colocar em pedaços no congelador. Sempre aperte todo o excesso de ar de sacos plásticos e recipientes. A queimadura de freezer é inofensiva, mas afeta o sabor.

7 - BANANAS! BANANAS! BANANAS!




Bananas manchadas podem ser perfeitamente consumidas. As partes feridas podem ser cortadas ou usadas. Bananas escurecidas e congeladas são ótimas para assar pães rápidos, muffins ou bolos.

8 - DESPERDICE MENOS COM AS CRIANÇAS



Comece com pequenas porções para evitar que sobre muita comida no prato.
Estudos mostram que muitas crianças têm que tentar um alimento até 15 vezes antes de aceitá-lo. Vá aos poucos para evitar um grande desperdício.

9 - SEJA ESTRATÉGICO



90% de nós jogamos comida fora muito cedo.
Crie receitas durante a semana para aproveitar os alimentos que estão prestes a vencer na sua despensa. Só porque a alface está murcha, não significa que é hora de jogá-la fora.

10 - PLANEJE AS REFEIÇÕES



Aproximadamente de 30% do alimento no Brasil é perdido. Por isso, é importante planejar as refeições antes de fazer as compras. Olhe a sua despensa e planeje o que você irá cozinhar.
Crie cardápios inteligentes que permitam aproveitar ingredientes nas diversas refeições. Dessa forma, você economiza tempo e dinheiro, além de evitar o desperdício.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

A hora e a vez do pomar e da horta Delivery: um negócio bem saudável

Fonte: A Tarde
Priscila Dórea

Aline Nogueira é uma das sócias do Pomar Club, que faz entrega de produtos orgânicos

A necessidade de manter uma vida saudável e a correria do dia a dia muitas vezes não conseguem caminhar juntas. “Vimos consumidores querendo ter uma alimentação orgânica e buscando a origem do seu alimento de forma a apoiar iniciativas familiares, mas que não têm tempo de frequentar feiras”, conta Aline Nogueira, diretora-executiva do Pomar Club.

A ideia do Pomar surgiu de um desejo de empreendedorismo sustentável de três amigos: Aline Nogueira, Matheus Passos (diretor de operações) e Giordana Flôr (diretora de marketing). Inicialmente, os sócios queriam criar um aplicativo onde as pessoas pudessem comprar produtos sabendo de sua origem, com informações voltadas para o meio ambiente.

Eles perceberam, no entanto, que a maior preocupação era com os alimentos orgânicos. “Vimos um grande abismo entre o pequeno produtor que não tem acesso aos grandes supermercados e trabalha apenas em feiras em horários não muito bons, e a grande variação de consumidores a cada semana”, explica Aline.

Diante do crescente interesse das pessoas em alimentos orgânicos, o Pomar visa oferecer não apenas uma alimentação saudável, mas também promover um consumo sustentável, acreditando que todos podem se tornar agentes sociais engajados e atentos aos impactos do consumo.

Além de realizar algumas feiras nos espaços comuns de condomínios, o Pomar oferece produtos vindos direto de hortas que, arrumados em cestas, são entregues durante toda a semana na casa dos clientes.

Para otimizar ainda mais as entregas, há a alternativa da assinatura mensal, que pode ser feita pelo site www.pomar.club, o que facilita a vida do cliente e também garante certa regularidade aos produtores. A assinatura equivale à entrega de quatro cestas por mês, e os pacotes variam de R$ 120 a R$ 210.

“O cliente recebe os produtos oferecidos pelo produtor toda semana sem se preocupar com o pedido e, da mesma forma, o produtor pode variar entre as opções de folhas, legumes e raízes”, informa Aline. A seleção de produtos enviados respeita a sazonalidade da produção, garantindo a quantidade mínima escolhida para o consumo semanal da família atendida pelo Pomar.

Andreia Castro, da Frutys, oferece combinado de frutas para empresas (Foto: Shirley Stolze l Ag. A TARDE)

Abraçando oportunidades

Enxergando a própria necessidade como uma oportunidade para empreender, Andreia Castro criou a Frutys com o propósito de oferecer combinados de frutas para aqueles que não dispõem de tempo para escolher, higienizar e cortar essas frutas.

“Surgiu a necessidade de eu enviar lanches picados para meu filho. Como eu não tinha tempo, pensei que, se tivesse alguém que trabalhasse com isso, eu preferia pagar do que ter que disponibilizar esse tempo para fazer”, ela conta.

A princípio Andreia ofereceu o serviço para pessoas físicas, mas logo notou que o público não estava acostumado com esse tipo de entrega em Salvador. Ao perceber que diversas empresas procuravam a Frutys, ela decidiu direcionar as entregas para o público corporativo.

“Várias empresas que têm o interesse em aumentar a qualidade de vida dos funcionário começaram a me contatar”, conta a microempresária. As entregas são realizadas durante toda semana e as frutas, que são cortadas em pedaços e enviados dentro de um pote com garfo, ou inteiras, são preparadas pouco tempo antes da entrega. “Algumas empresas possuem refrigerador para guardar os potes com as frutas cortadas. Para as que não têm, enviamos dentro de um isopor com gelo, para que se mantenham conservadas até o consumo”, ela explica. Os planos de assinatura estão no site www.frutys.com.br.

O Sebrae também orienta os empreendedores interessados em atuar no ramo sobre como lidar com produtos perecíveis (veja abaixo).

*Sob a supervisão da editora Cassandra Barteló

EMPREENDENDO COM PERECÍVEIS

Fornecedores - Busque estabelecer uma boa sociedade com fornecedores confiáveis, sempre negociando o preço

Diferencial - Procurar o diferencial na qualidade de seus produtos, contribuindo para agregar valor ao serviço oferecido

Divulgação - Usar as redes sociais é uma ótima opção, já que possuem inúmeras ferramentas que ajudam o empreendedor e o aproximam dos clientes

Estoque - Por se tratar de um negócio com produtos perecíveis, é importante trabalhar com um estoque organizado, para mensurar e reduzir as perdas

Entrega - Manter-se sempre atento à logística do negócio, buscando, por exemplo, organizar trajetos que evitem gastos desnecessários

Fonte: Eduardo Garrido (analista do Sebrae-BA)

Pessoal do RS: Quer ser um coagricultor? Conheça o projeto que troca financiamento de produtores por cestas semanais de orgânicos

Proposta das Comunidades que Sustentam a Agricultura (CSAs) é transformar o cliente em um parceiro de negócios do produtor

Fonte: Gaucha ZH
30/07/2018
VANESSA KANNENBERG



Sandino Argolo Nunes, de Nova Santa Rita, é financiado por 12 pessoas, entre elas a dentista Andressa Presotto, da CapitalCarlos Macedo / Agencia RBS


A venda de orgânicos cresce a galope em todo o Brasil e o Rio Grande do Sul tem a maior proporção de consumidores em relação à população no país. Mas você já pensou em ser mais do que mero comprador? A proposta das Comunidades que Sustentam a Agricultura (CSAs) é transformar o cliente em coagricultor — um parceiro de negócios do produtor.

Funciona assim: um grupo de pessoas se reúne para financiar um produtor rural, pagando valor fixo mensal. Em troca, recebem toda semana produtos da estação cultivados pelo agricultor e por seus parceiros, que complementam as cestas, sem intermediários. A relação vai além da compra e venda: uma vez ao mês, o colaborador é convidado a ir até a propriedade rural, ajudar na colheita e participar de mutirões. E, quando há perdas na lavoura, o apoiador compartilha o risco.

— Cria-se uma relação de confiança, em que não se lida com o preço, mas se incentiva o apreço — afirma Ali Batista, idealizador do CSA-RS e membro da diretoria do CSA nacional.

Surgido nos anos 1980 nos Estados Unidos, o modelo chegou ao Brasil somente em 2011 e, três anos depois, começou a ser implementado no Rio Grande do Sul. A principal diferença para o resto do país é que, no Estado, os produtores vêm de assentamentos da reforma agrária, de Eldorado do Sul, Nova Santa Rita e Viamão, todos da região metropolitana de Porto Alegre.

Relação de proximidade

A CSA pioneira no Estado foi implantada no final de 2014 na Capital. Um dos precursores é o agricultor familiar Sandino Argolo Nunes, 29 anos, de Nova Santa Rita. O produtor entrega seus hortifrutigranjeiros para seus apoiadores todas as quartas-feiras na feira do bairro Menino Deus. A participação no modelo de financiamento lhe garante renda fixa – atualmente conta com 12 cotistas – e serve de estímulo para mantê-lo trabalhando no campo.

— A gente precisa ser valorizado e no CSA é assim que nos sentimos. O público nos conhece e acredita no que fazemos — comenta Nunes.

A partir da CSA Menino Deus, outras redes foram criadas e, atualmente, há outros seis pontos de entrega: público, comercial e residencial.

Um desses locais foi iniciativa da cirurgiã dentista Andressa Presotto, 38 anos, que criou um grupo em seu condomínio, em Porto Alegre. Ela conheceu o projeto por amigos que fez ao frequentar a feira do Menino Deus. Na época, não havia vaga no grupo de apoiadores, mas o casal cedeu lugar à entusiasta. Hoje, mesmo com entrega em casa, frequenta a feira todas as quartas-feiras e ainda vai aos sábados na feira modelo do Bonfim.

— A ideia é possibilitar renda fixa ao agricultor. Mesmo quando há perdas, as famílias (que financiam) têm entendimento que em outro momento receberão um volume maior, compensando — conta Andressa.

Como participar

Carlos Macedo / Agencia RBS

— Para participar, envie e-mail para csaportoalegrers@gmail.com.

— Os coordenadores respondem com as opções disponíveis e marcam um encontro para explicar o funcionamento.

— Há basicamente duas opções: entrar em um grupo já existente ou criar um novo. Na primeira, é preciso que o agricultor tenha vaga e capacidade de entrega. Além disso, o consumidor tem de ter possibilidade de ir buscar no local existente. Atualmente, as feiras do Menino Deus, do IPA e da Redenção, por exemplo, são lugares públicos de coleta de cestas. Há, ainda, uma escola particular na Zona Sul, uma loja na Cidade Baixa e um condomínio na Zona Norte.

— Para criar uma nova CSA, é necessário um mínimo de cinco pessoas. Nessa opção, o grupo pode definir, de acordo com a possibilidade de logística do produto, o local de preferência de entrega. Pode ser uma feira ou casa, por exemplo.

— Há duas modalidades de planos: mensalidade de R$ 145 em troca de cesta semanal com oito itens, entre legumes, verduras e frutas, que variam conforme a estação e são definidos pelo agricultor, ou de R$ 260, que inclui 12 produtos, de hortifrútis até agroindustriais, como pães e geleias. Caso o produtor tenha perda ou queira complementar a cesta, ele troca com outros membros da rede.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Velho é a mãe!!!!! A Gerontologia explica!

Imagem Pixabay

Pois é, o que é ser velho no mundo de hoje? O que antes era decadência física, invalidez, momento de descanso e quietude, está se tornando um momento de lazer, próprio à realização pessoal daquilo que ficou incompleto na juventude. Claro que não é sempre assim, mas aquele padrão do velhinho alquebrado esperando os dias passarem até a morte chegar, com certeza mudou.

Que bom, porque afinal até 2025 segundo as projeções seremos mais de 32 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Isso sem contar que a proporção de pessoas com mais de 80 anos também apresenta um significativo aumento. O Brasil será a 6ª. população de idosos do mundo.

Na verdade, está surgindo uma nova categoria social, um novo conceito da chamada “3ª. Idade”.

Século XX - século do crescimento demográfico, Século XXI - século do envelhecimento demográfico.

Fato. Apesar disso a sociedade continua com atitudes preconceituosas em relação ao processo de envelhecimento, considerando o idoso quase que um estorvo, um ser dependente e sem valor para uma sociedade produtiva.

É aí que entra a Gerontologia, uma ciência multidimensional que aborda o processo de envelhecimento em suas múltiplas facetas - físicas, biológicas, psíquicas, emocionais, sociais, culturais, ambientais, políticas e econômicas. Multidisciplinar, engloba médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, cuidadores e família, esta última fonte primária de suporte informal ao idoso.

Ela vem meio que na contramão do que se faz no mundo atual, com profissionais cada vez mais especialistas, que não conversam entre si, como se o Ser Humano fosse uma máquina e não uma pessoa a ser estudada, que não pode ser de maneira alguma, fragmentada. O objeto do estudo é pluridimensional e geralmente a visão dos profissionais é unilateral.

Como muitos devem saber eu tenho uma mãe com 88 anos, que sofre de Alzheimer há 4. No processo da doença dela passamos por várias fases, da negação, da pena, da raiva, da revolta, enfim, um turbilhão de sentimentos que acabam gerando isolamento e tristeza não só para o paciente, mas também aos familiares cuidadores.

No meu caso, gerou curiosidade, como dar melhor qualidade de vida a ela, como entender esse novo ser, tão diferente daquela mulher forte e independente que eu conheci como mãe? Por isso dediquei uma boa parte do meu tempo este ano ao estudo da Gerontologia.


Imagem Pixabay

Viver e envelhecer: um desafio fundamental, afinal “o que é ser velho?

É importante saber que existem diferentes fases no envelhecimento, e cada uma delas requer cuidados diferentes. Com a idade chegam as doenças crônicas, (hipertensão, diabetes, artrite, insuficiência renal, osteoporose, demências), afetando as capacidades funcionais da pessoa, criando algum grau de dependência para a realização das atividades diárias.

Mas as doenças crônicas são incapacitantes? Atualmente não, se tratadas se convive bem com elas, mas se fossem evitadas não seria bem melhor?

Idosos não são prioridades para as políticas sociais e econômicas do nosso país e até mesmo as famílias, que sempre se responsabilizaram pelos cuidados, mudaram. A responsabilidade de cuidar cabia à mulher, (esposa, filha, nora, irmã, etc.). Hoje a mulher trabalha fora, tem compromissos profissionais, não quer ou não pode abandonar seu emprego.

Os residenciais para idosos são caríssimos e deixam muito a desejar nos cuidados de seus internos. Experiência própria viu gente? Aparentemente são hotéis especializados, mas continuam com o ranço dos asilos para velhos, pecando no atendimento, na alimentação, na medicação e pior na atenção que cada um deles precisa. Muitas vezes não respeitam a dignidade da pessoa, principalmente os mais dependentes (necessidades fisiológicas básicas, higiene e saúde, abandono, desqualificação de sua personalidade, infantilização, sem direito a ser ouvido ou negação do espaço físico onde se sinta seguro). Teriam a dupla função de complementar ou substituir a família, mas esquecem o sentimento de perda e saudade dos seus espaços familiares, amigos, vizinhos, etc.

Uma nova perspectiva para o envelhecimento passa por novas políticas sociais, pelo entendimento que a Gerontologia nos dá. Prejuízos mentais ou físicos dos idosos podem ter tratamentos médicos adequados ou além da Medicina, superados por políticas e programas de reinserção social do idoso e políticas de educação e sensibilização da sociedade em que vivemos.

E o que a Gerontologia tem a ver com a minha área: alimentação consciente?

Vimos que as doenças crônicas costumam se instalar nessa fase da vida, mas será que os cuidados com a saúde (exercícios e alimentação) não poderiam pelo menos retardá-las?

A Gerontologia promete um novo estilo de vida para a 3ª. Idade, vendo a pessoa como um todo, afinal envelhecer bem depende de vários fatores: bons pensamentos, cuidados físicos, saúde, inclusão social e claro, uma boa alimentação. Tudo parece igual, não é? Afinal isso é importante desde a infância.

Mas no quesito alimentação não podemos enxergar o idoso como um adulto comum. Tudo sofre alterações: o apetite, a dentição, o paladar, as preferências, a visão. Texturas, aromas, temperatura, cores são ferramentas importantíssimas para despertar neles a vontade de se alimentar. O mesmo acontece com a água, o sal, o açúcar, como substituir quando o idoso tem restrições?

Você já pensou que uma toalha florida ou um prato com muitos desenhos pode confundir a visão do idoso, dificultando sua alimentação? Que fazer um idoso se hidratar passa a ser uma missão quase impossível, porque ele não sente sede?

A convivência com pessoas na hora da alimentação, recorda as refeições em família, as brincadeiras e ele se sente acolhido, amado. Nessa idade as pessoas já sofreram perdas importantes (pais, cônjuge, filhos, irmãos) e nem sempre digeriram essas perdas. Como os cuidadores, sejam eles da família ou profissionais devem lidar com isso?

Envelhecer bem depende de nossas adaptações ao longo da vida, a criação de novos hábitos, lazeres, cultivar laços afetivos além da família. O desafio é viver novas aventuras, não perder a alegria pela vida. E a hora de começar é Já!

Nadia Cozzi
Especialista em Consciência Alimentar e Desenvolvimento Humano



sexta-feira, 13 de julho de 2018

Projeto Atados promove Copa de Futebol entre ONGs de São Paulo

Resultado de imagem para projeto atados

Evento será realizado no Parque Dom Pedro II e trará times de futebol sem distinção de gênero, no local haverá um shopping social que fará doações de agasalhos

O Projeto Atados promoverá no dia 22 de Julho, a Copa das Causas, onde diversas ONGs se reunirão. Cada uma com seus times de futebol sem distinção de gênero. O evento ocorrerá no campo do Parque Dom Pedro II no Centro de São Paulo, no local haverá também o Shopping Social que fará doações á pessoas em situações de rua. 

O evento é totalmente gratuito e tem como objetivo celebrar projetos e causas sociais, além de estimular pessoas a circular nesse espaço tão esquecido. O Horário da programação será das 9hs ás 17hs.

O campeonato ocorre em clima dos jogos de futebol da Copa do Mundo e terá duas categorias, Golzinho, aptos a participar 4 times de organizações e projetos sociais com no mínimo 7 atletas que tenham até 14 anos, sem distinção de gênero. Os jogos desse grupo acontecerão como os típicos futebol de rua, em uma metade do campo oficial e sem goleiro(a). A categoria Golzão com 8 times, cada um com 13 atletas acima de 15 anos. Os jogos do segundo grupo acontecerão no campo inteiro de futebol, devido ao alto número de jogadores e intensidade física.

O Parque Dom Pedro tem uma grande concentração de moradores de rua, e para ajudar essas pessoas a se protegerem do frio o evento conta com o Shopping Social, onde pessoas em situação de rua poderão escolher os itens que precisam como agasalhos em geral e produtos de higiene. 

A loja social está sendo formado através de doações arrecadada pelos Atados. A liberdade de escolha dos itens pelos beneficiados tem como finalidade elevar a autoestima, fazer com que cada um deles sinta-se acolhido e digno de escolher as peças do seu gosto resgatando um pouco da dignidade.

O Evento é organizado totalmente de forma voluntária pelo Atados, além de um financiamento coletivo online em que pessoas doamquanto podem. https://secure.juntos.com.vc/pt/copadascausas

Segundo o organizador da Copa, o voluntário Bernardo Carvalho, a ideia foi espelhada em um evento semelhante feito a 4 anos atrás e que rendeu bons frutos “ Em 2014 fizemos a Copa dos Refugiados com muitos voluntários, desse evento surgiu a ONG Abraço Cultural, escola de idiomas onde os professores são refugiados”.

O Atados é uma plataforma social online que conecta as pessoas á oportunidades de voluntariado em causas. Atua em São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Distrito Federal. A Instituição tem o propósito de agregar pessoas e gerar recursos para fortalecer a atuação de organizações em diversas causas sociais, além de realizar ações e eventos de voluntariado. São mais de 1.300 ONGs cadastradas e 75 mil usuários. https://www.atados.com.br/

Algumas ONGs que estarão presente são: Lutando pelo Futuro, quixote, Abrigo Zancone, Rosa Negra ADF, Atados, Abraço Cultural entre outras. Haverá também um time em aberto aos frequentadores do Parque. Serão fornecido lanches á todos os presentes.

Local: Parque Dom Pedro II, Praça Cívica Ulysses Guimarães – Centro, São Paulo – SP, 01026 – 010 A o lado do metrô Pedro II e do Terminal PQ Dom Pedro II 

Contato da organização: bernardo@atados.com.br (11) 97265-3992 Bernardo Carvalho 

Assessoria de Imprensa: bruno.araujo1212@hotmail.com Cel: (11) 98131-4117 Bruno Araújo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...