Brincadeiras de criança

Com tanta tecnologia disponível e a enorme variedade de brinquedos que são lançados a todo momento, talvez seu filho não faça ideia de como você passou os melhores momentos da sua infância. Por isso, que tal lhe propor um dia sem computador ou vídeo game e fazer uma viagem no tempo através das brincadeiras da sua época de criança? Para um dia divertido, basta usar um único meio: a imaginação! De brinde, você ainda colabora para o desenvolvimento psicomotor da pessoa que mais ama no mundo. Gostou? 
Fonte: http://www.bolsademulher.com

Correr, pular, equilibrar-se. A amarelinha requer todos esses movimentos e é muito simples de fazer. Desenhe no chão um diagrama que intercale quadrados únicos e duplos, numerando- os de 1 a 10. Acima do 10, contorne uma meia-lua, que será chamada de "Céu". O primeiro jogador atira uma pedrinha na casa 1 e começa a pular de casa em casa, desde a de número 2 até o Céu. Quem conseguir cumprir o trajeto todo primeiro vence. Não vale: pisar nas linhas ou na casa onde está a pedrinha nem atirar a pedrinha na casa errada.

"Seu mestre mandou" fica mais animado com um grupo grande de jogadores. Pode ser feito num sábado em que o seu filho reunir os amigos em casa. Nomeie-se o “mestre” e dê ordens como pular num pé só, correr de um lado ao outro da sala, bater palmas. Você ainda pode pedir que eles peguem um objeto inusitado ou façam vários movimentos ao mesmo tempo. Quem obedecer ao mestre corretamente ganha pontos. Anote-os numa lousa: ganha quem mais pontuar.

cabra-cega é perfeita para estimular os sentidos. Um dos participantes deverá vendar os olhos. Em seguida, os outros fogem para que a "cabra-cega" encontre alguém e adivinhe quem é essa pessoa. Durante a brincadeira, os jogadores fazem perguntas e respostas, permitindo que o participante de olhos vendados os localize pela audição.

Você pulou muita corda, não foi? A atividade, antigamente vinculada às meninas, oferece tantos benefícios para o corpo que hoje é praticada até nas academias. Na diversão dos pequenos, ela vem acompanhada por músicas que sugerem movimentos. Você se lembra da letra que dizia “Um homem bateu em minha porta e eu abri! Senhoras e senhores, ponham a mão no chão. Senhoras e senhores, pulem em um pé só. Senhoras e senhores, deem uma rodadinha e vá pro olho da rua!”? É ou não um exercício e tanto? Mostre suas habilidades ao seu filho.

Quente ou frio? Não, não estamos falando do tempo! Esconda um objeto e peça que as crianças o encontrem. Quando alguém estiver bem próximo de achar o que foi escondido, você grita "quente". Caso contrário, grite "frio". Há ainda o "morno", para aqueles que estão no caminho certo. A brincadeira estimula o senso de direção.

Brincar de estátua
 é um desafio psíquico e para a coordenação, e pode render boas gargalhadas. Ao embalo de uma música animada, coloque as crianças para dançar. Sem aviso prévio, abaixe o som. Durante esse tempo, eles não podem se mexer em hipótese alguma!

Você sabe fazer origamis? Além de ótimos para decorar, eles estimulam a criatividade das crianças e as mantêm concentradas na atividade. Ensine o seu herdeiro a fazer uma gaivota ou um simples barquinho: o importante é que ele se esforce para fazer o melhor possível.

Ao final de toda essa maratona, uma certeza você pode ter: seu filho aprendeu que diversão não depende de um novo brinquedo ou de um aparelho de última geração. Ele agora sabe que estar rodeado de pessoas legais e que fazem as brincadeiras valerem a pena não é coisa do passado.

Comentários

Postagens mais visitadas