Atividades do dia a dia que pedem esforço físico podem comprometer a postura e a saúde


Chris Bueno
Do UOL, em São Paulo
  • Muitas vezes essas atividades se tornam uma verdadeira ginástica, que exige um abaixar, levantar, carregar, arrastar repetidos, submetendo o corpo a posições arriscadas; por isso é importante estar atento à postura
    Muitas vezes essas atividades se tornam uma verdadeira ginástica, que exige um abaixar, levantar, carregar, arrastar repetidos, submetendo o corpo a posições arriscadas; por isso é importante estar atento à postura
Carregar compras, passar roupa, cozinhar, varrer a casa. Esses afazeres são tão corriqueiros que raramente paramos para prestar atenção neles – ou em como os executamos. Porém, todas essas atividades exigem esforço físico e submetem o corpo a posturas que podem comprometer coluna, quadril, joelhos e ombros.

Se realizadas constantemente com uma postura inadequada, elas podem resultar em dores localizadas ou problemas mais sérios, como varizes, bursites nos ombros, lombalgias e até mesmo hérnia de disco.

Muitas vezes essas atividades se tornam uma verdadeira ginástica, que exige um abaixar, levantar, carregar, arrastar repetidos, submetendo o corpo a posições arriscadas. Por isso é muito importante estar atento à postura na hora de realizá-las.

Veja como não errar na postura ao realizar atividades domésticas

Foto 8 de 12 - Estendendo as roupas no varal: estender as roupas no varal sobrecarrega demais a região cervical da coluna. Para evitar problemas, o varal deve estar em uma altura compatível, ou seja, acessível aos braços, de modo que as mãos não ultrapassem a altura do ombro. "Ou então se deve usar uma escada ou banquinho, para que os braços não fiquem estendidos por muito tempo", sugere Francis Trombini de Souza, da Faculdade de Medicina da USP. Desta forma, você evita as dores mais tarde Thinkstock
"Sabemos que grande parte da população mundial convive com dores nas costas. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 80% dos adultos sofrerão pelo menos uma crise aguda durante sua vida e 90% dessas pessoas apresentarão mais de um episódio neste mesmo período", alerta o fisioterapeuta Francis Trombini de Souza, do Laboratório de Biomecânica do Movimento e Postura Humana da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo). Segundo o fisioterapeuta, esse cenário resulta da má postura, do sedentarismo e das posições incorretas no ambiente de trabalho e durante os afazeres domésticos.

Postura adequada

Para evitar esses problemas, o primeiro passo é ter consciência da importância de ter uma postura adequada tanto em casa como no trabalho. O segundo é pensar na organização da própria casa e do ambiente de trabalho, preferindo móveis ergonomicamente corretos, e atentando para a altura de mesas e balcões e para a localização dos objetos.

"Muitas vezes os objetos mais usados no dia a dia ficam guardados acima da linha média do ombro, exigindo a repetição de levantar os braços várias vezes ao dia e promovendo o impacto de partes nobres do ombro", aponta Helder Montenegro, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação da Coluna e diretor do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral.

Portanto é aconselhável colocar esses objetos mais próximos do alcance. Uma boa dica também é manter sempre por perto um banquinho ou uma escada que auxiliem na hora de alcançar lugares mais altos.

Esses esforços repetitivos com a postura inadequada podem trazer uma série de problemas. E se esses problemas já estiverem enraizados, então, é necessário buscar ajuda para que não se agravem e cheguem a impossibilitar a realização de certas tarefas.

Uma das coisas mais importantes a se fazer é a reeducação postural, para evitar que o corpo continue sendo sobrecarregado com posturas incorretas. RPG, pilates, alongamentos e acupuntura são outras alternativas que podem fortalecer o corpo e aliviar as dores. Mas, em todos os casos, é sempre fundamental procurar um especialista.

"É necessário procurar opinião de um especialista de coluna, assim a pessoa será orientada como poderá ter o quadro de dor aliviado, seja por medicamento ou fisioterapia", diz Rodrigo Amaral, médico especializado em coluna, membro do Instituto de Patologia da Coluna de São Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas