terça-feira, 30 de abril de 2013

Um vinagre para cada prato

Cozinha, Figura, Vinagre, Petróleo, Tomate, Cebolas


A gente chega lá no supermercado e tem uma porção de tipos de vinagre, aposto que vc já se perguntou, mas para que servem todos esses vinagres?

Dicas para facilitar sua vida na cozinha






Dicas interessantes para organizar a casa e as coisas




O que vc pode fazer com um creme dental e um elástico?



Designers criam tomada que capta energia solar ao ser grudada na janela

Por Cidades Sustentáveis
Enviado por Luciana em seg, 29/04/2013 - 15:37



Uma tomada que é grudada na janela e capta energia solar virou notícia nos últimos dias na internet. A ideia é dos designers Kyuho Song e Boa Oh e leva o nome de "Windows Socket".

O lado da tomada que recebe a luz solar possui células fotovoltaicas, que transformam a energia solar em energia elétrica. E o mais interessante: dá para usar o dispositivo enquanto ele está grudado na janela, recebendo a luz solar, ou, após dar uma carga total nele, levando-o na bolsa para uso em lugares que não dispõem de eletricidade.

O "Windows Socket", segundo material de divulgação que circula na rede, leva de 5 a 8 horas para ser carregado e sua carga dura até 10 horas.

Ainda não há informações sobre de que forma e quando a tomada chegará ao consumidor.

Simples desejo




Que tal abrir a porta do dia,dia

Entrar sem pedir licença

Sem parar pra pensar,

Pensar em nada…


Legal ficar sorrindo à toa,toa

Sorrir pra qualquer pessoa

Andar sem rumo na rua


Pra viver e pra ver

Não é preciso muito

Atenção, a lição

Está em cada gesto

Tá no mar, tá no ar

No brilho dos seus olhos

Eu não quero tudo de uma vez

Eu só tenho um simples desejo


Hoje eu só quero que o dia termine bem

Hoje eu só quero que o dia termine muito bem (2X)


Legal ficar sorrindo à toa,toa

Sorrir pra qualquer pessoa

Andar sem rumo na rua


Pra viver e pra ver

Não é preciso muito não

Atenção, a lição

Está em cada gesto

Tá no mar, tá no ar

No brilho dos seus olhos

Eu não quero tudo de uma vez não

Eu só tenho um simples desejo


Hoje eu só quero que o dia termine bem

Hoje eu só quero que o dia termine muito bem (4X)


Luciana Melo, ouça aqui

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Olha que boa ideia para os seus biscoitinhos caseiros!!!




Vai me dizer que alguma criança vai resistir a isto?
Quer receitas de biscoitos caseiros? Clique aqui.

SHOWS DE TODAS AS ÉPOCAS


Se você gosta de música vai se deliciar com estes links:

Pink Floyd      Bruce Springsteen    Elton John      U2      George Harrison
Metallica    Portas    Shakira    Beach Boys    Cat Stevens    Bon Jovi
 Ricky Martin     Ray Charles     K3    Zz Top     Van Morrison    Ringo Starr
Billy Joel   Sting   Kinks    Rem    Laura Pausini    Genesis    Quem

Vc sabe o que é ser Voluntário?


Cantor Psy quer chef de cozinha para uma turnê e paga bem

Em Catraca Livre - Redação em 29 de abril de 2013.

Cozinheiro do sul-coreano ganhará US$ 40 mil

O cantor sul-coreano Psy procura um chef de cozinha para acompanhá-lo em uma turnê de um mês por diferentes países. O candidato escolhido receberá US$ 40 mil pelo período e ficará hospedado em hoteis cinco estrelas nas cidades em que o músico for tocar.

Para se candidatar à vaga, é necessário fazer um cadastro na página do projeto no Facebook até 12 de maio, e enviar um vídeo que ateste suas habilidades culinárias.

O resultado com os aprovados na primeira fase será divulgado entre 13 e 19 de maio e o chef escolhido será conhecido no dia 3 de junho.

divulgação
divulgação

sábado, 27 de abril de 2013

Fechando o ziper analisa o leite Molico em pó


Lembrando que esta avaliação não está comparando com outros tipos de leite que com certeza são melhores que o leite em pó,mas caso vc precise por algum motivo tomar um leite em pó fica aqui a sugestão, mas só para emergências. Nadia Cozzi

Leite em Pó Desnatado Molico Total Cálcio Nestlé

leite_po_desnatado_molico_total_calcio_nestle


7
Publicado April 25, 2013 por Um Blog que ajuda muito na escolha de uma alimentação correta.

Muito legal. Site que calcula a distância, o consumo e até o valor do pedágio nas viagens de carro.

Massinha de modelar caseira, a criançada vai adorar.

Use esta receita para fazer massinha colorida de longa durabilidade, se conservada em um recipiente hermeticamente fechado (qualquer recipiente selado que bloqueia a entrada de ar) e/ou na geladeira.

E o melhor é que você saberá exatamente o que o seu filho ingeriu caso ele coloque na boca!

Ingredientes

• 1 xícara de sal de cozinha,prefira o sal marinho

• 4 xícaras de farinha de trigo

• 2 colheres (de sopa) de óleo de girassol

• 1 colher (de sopa) de vinagre

• 1 e 1/2 xícara de água

• A receita original fala em corantes alimentícios, como aqui temos preocupação com o que é químico, que tal aproveitar a água do cozimento da cenoura, beterraba, brócolis, couve. Pode usar tb açafrão, colorau, canela? 

ATENÇÃO: certifique que seu filho(a) não é alérgico(a) a nenhum dos ingredientes acima.

Brincadeira barata, fácil e divertida!
Modo de fazer

Passo 1



• Separe todos os ingredientes, menos os corantes, e coloque-os em uma tigela grande, misturando-os com as mãos. Não há ordem a ser seguida. Se for usar os corantes caseiros diminua a água para ter certeza do ponto.

• Se você vive em um clima mais úmido, ou se a a massa ficou muito úmida ou pegajosa, adicione uma pitada a mais de farinha.

• Ficou muito seco? Adicione um pouquinho de água.

Passo 2



• Pegue uma bola da massinha e faça um buraco com o dedo. Pingue algumas gotas de corante. Dobre cuidadosamente a massa por várias vezes, até que a cor esteja bem misturada.

Passo 3



• Coloque cada cor em um recipiente hermeticamente fechado.

• Ele pode ser guardado na geladeira, mas isso não é estritamente necessário.

• Se começar a secar ao longo do tempo, adicione um pouco de água. Essa massa dura vários meses.


Fonte original: Pediatria Brasil
Aliás nesse site tem muitas opções de brincadeiras. Clique aqui.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Famílias apostam na produção de doces orgânicos, em Rondônia

Frutas usadas na produção dos doces são cultivadas sem agrotóxicos.
Agricultores pensam em expandir a venda para outros estados do Brasil.

Do G1 RO com informações da TV RO

Doces são produzidos livres de agrotóxicos e conservados em compotas (Foto: TV Rondônia/Divulgação)

Famílias da área rural do município de Candeias do Jamari (RO) descobriram os benefícios de produzir doces artesanalmente, a partir de matéria prima orgânica. Os doces, em compotas, são vendidos nas feiras livres do município pelos produtores, mas a ideia deu tão certo que estão pensando em expandir o negócio. A doceira Maria Augusta comenta que o segredo da produção é o não uso de conservantes ou corantes. O presidente da associação Lindoval Silva, explica há uma movimentação para conseguir a autorização de revenda para outros estados.

São várias as oções de doces: com frutas em pedaços ou em pasta, bananada, goiabada, doce de cupuaçu com ou sem caroço. Maria conta que só é utilizado a fruta o açúcar e água. Mas para toda receita há um ‘toque do chefe’, diz a doceira. “A única coisa fora isso é o cravinho e canela em pedaços que eu adiciono na hora da preparação. Não precisa de nenhum conservante ou corante”, explica.

As 32 famílias do assentamento Paraíso das Acácias, em Candeias do Jamari, decidiram se reunir para criar a Associação Agro Ambiental, com auxilio da Secretaria de Agricultura de Rondônia, e começaram a fabricar doces de frutas sem nenhum tipo de agrotóxico. A matéria prima dos doces vem das propriedades rurais do assentamento. Durante o cultivo, nada de produtos químicos. Até mesmo o adubo é natural, vem do esterco dos galinheiros que são mantidos pelos agricultores.

Felisbiano Santana é produtor rural e conta que atualmente é produzido de 80 a 100 quilos de doces por semana. "Hoje a gente não está aguentando fazer a produção que é esperada. A nossa expectativa é alcançar 400 quilos de doces por semana", explica.

O presidente da associação Lindoval Silva, explica que mesmo com a empolgação dos moradores com a ideia, para comercializar as compotas de doce em outros estados é necessário selos verdes e de fiscalizações municipal e federal.

Enquanto isso, as famílias estão sendo orientadas a padronizar e industrializar a produção. "Estamos montando mais duas fábricas de doces para ampliar e conseguir o selo verde para que possamos conseguir revender em outros estados", ressalta Lindoval
Veja o Vídeo

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Teto de shopping tem horta de 1 000 metros quadrados.



Eldorado produz 14 toneladas de adubo por mês com compostagem dos resíduos da praça de alimentação.

Veja SP.- 23.abr.2013 | Atualizada em 24.abr.2013 por Inara Chayamiti

Horta


Uma pequena ilha verde se destaca entre os prédios da Marginal Pinheiros, em São Paulo. Com 1 000 metros quadrados, a horta que fica no teto do Shopping Eldorado já deu cem berinjelas e inúmeros pés de alface, entre outras plantas.

Por trás do telhado verde está o projeto de compostagem que ocorre há um ano no local. As plantas crescem diretamente no composto orgânico produzido pelo shopping. São geradas quatorze tonelas de adubo por mês a partir dos restos das 10 mil refeições servidas por dia na praça de alimentação.

Com a compostagem e a reciclagem, o shopping recicla 25% das 300 toneladas de lixo mensais.

Para realizar a compostagem, o Eldorado encomendou duas enzimas específicas para acelerar a decomposição adequada do seu lixo. Na natureza, isso levaria até 180 dias e, dessa forma, leva três horas, segundo o engenheiro agrônomo Rui Signori.

Novos Padrões e Rotinas Mentais – O Inicio Mudança.





A consciência plena da trindade Corpo-Mente-Espirito foi desde sempre assumida por várias culturas como chave para uma caminhada dotada de sentido, objectivo e harmonia.

É vital ter presente que o Corpo, a Mente e o Espírito se encontram a um nível semelhante. Ao longo da história vários mestres atestaram isso mesmo, utilizando diferentes palavras para caracterizar o “Corpo-Mente” como o “templo sagrado da Alma”.

Deixando de lado as diversas teorias que diferenciam o conceito de Espírito e Alma, debruço-me de forma prática e útil sobre o que realmente interessa à maioria das pessoas: a mudança e tudo de positivo que daí advém.

O Corpo necessita do Espírito para SER, para encontrar um propósito, para poisar no planeta. Já o Espírito necessita do Corpo para ganhar forma, ancorar. Não é possível libertar a Alma sem libertar a Mente e o Corpo. Não é possível libertar o Corpo sem o libertar da teia que a Mente vai tecendo involuntariamente ao seu redor e no seu interior.

Essa teia, e basta que nos concentremos apenas nesta vida, começa a ser fiada a partir do momento em que se inicia o que denominamos de educação e socialização, onde quem é mais próximo tenta incutir os valores, crenças e conceitos que julgam ser os mais válidos e que, por sua vez, também receberam.

Dará por si, com certeza, a assumir cada vez mais consciência de padrões que repete em relacionamentos íntimos, de amizade, familiares…situações muito semelhantes que atrai e cria na sua vida em que apenas os rostos se alteram. Pode mudar de companhia, de casa, automóvel, emprego, cidade ou país…mas não pode fugir de si.

Quando realmente acorda para esta “bola de neve” o que fazer? Simples: Se quer realmente mudar a sua vida, deverá alterar, pelo menos, algumas das variáveis que a compõem. No entanto, embora seja realmente simples, o processo torna-se um desafio à coragem, à paciência, ao desapego, ao Amor-próprio, à morte do ego e ao renascimento da simplicidade do SER e do Sentir. Até ao que não nos faz bem nos habituamos, somos “animais de hábitos”.

Tenha, apesar de tudo, presente que não é os seus pensamentos, não é as suas palavras, não é as suas acções. Por mais aberrantes que tenham sido, foram momentos, fases, nada mais. Poderão até ter durado 20 anos, mas a cada minuto tem uma nova oportunidade de recomeçar.

Se assim não fosse então a caminhada evolutiva não faria o mínimo sentido, seriamos Seres marcados e condenados, sem necessidade de consciência e sentido, sem possibilidade de sentir e praticar o perdão, a compaixão, o Amor incondicional, por nós e pelo próximo.

Responsabilidade e assumir sim; culpa e rótulos, não, obrigado. Não espere alterar rotinas de pensamento, de palavras e de ação sem passar pela inevitável “ressaca”.

Ficam algumas sugestões que a vida trouxe até mim: Não espere pelo “momento certo” para fazer algo. Isso não existe. Todo o momento pode ser certo, desde que o sinta e o deixe entrar na sua vida:

  • Vá atrás da inspiração, do que e de quem o faz sentir vivo, vibrante,com sentido.
  • Se está infeliz é porque se está a afastar de si. Passe para o papel o que lhe vai na mente, na alma, no coração. Planifique e estabeleça objetivos.
  • Comece por pequenos passos. Encontre “momentos chave” em que possa estar a sós consigo e/ou sair de forma radical da sua rotina mental que condiciona inevitavelmente as suas palavras e ações. Um retiro, partir um prato, gritar, fazer uma viajem, dizer a alguém que o/a ama? Não se auto sabote nem invente desculpas. Ou quer ou não quer [ponto]
  • Faça algo que sempre quis, mesmo que ache louco ou idiota. Isso ajudará a não viver em função da aprovação alheia. É tão chato ser “robot”…
  • Pratique a intenção e a atenção. Sinta a respiração, cada pensamento, cada palavra que sai da sua boca, cada ato. Age ou reage?
  • Onde mora a raiz do que pensa, diz e faz?Já ponderou a possibilidade de existir uma carência genética/química no seu corpo?Se necessitar de apoio especializado, vá. Ninguém é uma ilha e heróis só existem nos filmes
  • Assuma a sua dor e as suas emoções. Se tiver de se afastar de uma situação profissional ou pessoal para iniciar o processo de libertação, assuma-o. Se tiver de mudar de cidade ou país, faça-o. Não há atalhos no caminho da consciência e da verdade. Fugir, não. Seguir a intuição, sim
  • Se cair, levante-se.Da próxima vez conseguirá mais e melhor

Como se tem alimentado? Que atividades faz para harmonizar Corpo-Mente e Espírito? Sabia que, por exemplo, o que come tem também um impacto direto no seu campo mental-emocional?
Já experimentou gasóleo num carro que se move a gasolina?

Querer é mesmo poder. Lembra-se dos soldados que iam para a batalha e em campo aberto continuavam a marchar sabendo que iam levar com uma bala a qualquer momento? Quando pensar que não é capaz de algo, olhe para exemplos que a humanidade nos deixou.Sim, é capaz. Sim, é possível.

Fonte:
In Zen Energy de:





terça-feira, 23 de abril de 2013

‘Orgânicos com valor agregado’: Sylvia Wachsner assina artigo no Estado de Minas

Chocolate orgânico, Pacari, do Equador

São desafios do setor orgânico exportar produtos com valor agregado, investir em tecnologia e qualidade e ofertar seus produtos em mercados diferenciados, com resultados que levariam o produtor a vender a um preço mais elevado e aumentar sua renda. Mas podemos enxergar como uma falsa verdade a alegação de que esses produtos deixariam de ser vistos como commodities por serem orgânicos.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Engenheiro detecta chumbo em tampa de três marcas de iogurte


Fonte: UNICAMP
Texto: RAQUEL DO CARMO SANTOS
Fotos: Antônio Scarpinetti
Edição de Imagens: Diana Melo




Em análises feitas em embalagens plásticas de 900 ml de iogurte de três marcas diferentes comercializadas em supermercados de Campinas foi detectada alta concentração de chumbo nas tampas dos frascos. 
Os testes foram realizados pelo engenheiro de alimentos Paulo Henrique Massaharu Kiyataka, no Centro de Tecnologia de Embalagem do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital). Os resultados constam de sua dissertação de mestrado apresentada na Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). 
Na avaliação do engenheiro, essas tampas não poderiam ser utilizadas. “Apesar de o contato entre a tampa e o alimento ser mínimo, não há como negar o risco de ocorrer a migração do chumbo para o iogurte, principalmente no manuseio. Um exemplo é o transporte deitado do produto ou estocado de ponta cabeça”, alerta.

Kiyataka, que realiza este tipo de análise há 13 anos, fez os testes em potes de sorvete de dois litros, e em embalagens de bebidas lácteas de 200 ml e 900 ml para verificar a presença de chumbo, cádmio, mercúrio e arsênio. 
Uma segunda etapa do trabalho foi verificar a migração dos elementos para os alimentos armazenados nas embalagens estudadas, de iogurte e sorvete, e a migração utilizando um simulante, solução de ácido acético 3%, conforme estabelecido pela da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nos testes com alimentos e com o simulante, não se observou a migração, exceto nas tampas de frascos de 900 ml de iogurte, que apresentaram uma migração de chumbo para o simulante que representa aproximadamente 0,01% do teor total de chumbo presente nas tampas avaliadas, índice superior ao limite estabelecido pela legislação Anvisa.

O resultado desperta outra preocupação do engenheiro: a questão ambiental, pois os elementos estudados podem contaminar o meio ambiente por serem tóxicos. Para ele, não existe uma conscientização do consumidor em relação ao descarte deste tipo de material e, se disposto de forma inadequada, pode contaminar solo e água. 
As embalagens estudadas são feitas de polímero, que é degradado no meio ambiente, mas as substâncias inorgânicas demoram mais para se deteriorar e, com isso, aumenta o risco de contaminação.
“Ou seja, o material de embalagem para alimentos deve ser bem especificado, além de ser compatível com o produto acondicionado. Não deve ser uma fonte de contaminação para o alimento e para o meio ambiente, caso seja descartada”, esclarece.

Ele lembra que o uso de embalagens de polímero para contato com alimentos tem crescido muito nos últimos anos. O consumo de produtos industrializados é o motivo deste aumento, e os contaminantes inorgânicos – tais como os elementos analisados –, cujas maiores fontes são aditivos, podem fazer parte da embalagem e migrar para o alimento.

Para o autor do estudo, que teve a orientação da professora Juliana Azevedo Lima Pallone, a presença de tampas com alto teor de chumbo é uma falha verificada na indústria de embalagens, na indústria de alimentos e no órgão fiscalizador, demonstrando que o processo de fabricação precisa ser mais bem controlado.

Segundo o engenheiro, a indústria de alimentos precisa estar sempre atenta à qualidade do material adquirido, uma vez que se trata de acondicionamento de alimentos que serão ingeridos pelo consumidor. Kiyataka alerta também para a necessidade de uma fiscalização mais rigorosa por parte da Vigilância Sanitária.

Pelos resultados, notou-se que há o uso de aditivos e substâncias com arsênio, cádmio e, principalmente, chumbo ou matérias-primas contaminadas com esses elementos na produção de embalagem, indicando a necessidade de uma melhor conscientização por parte do fabricante de embalagem e do usuário, fiscalização e uma legislação ambiental”, defende.

Em sua opinião, é preciso estabelecer limites máximos de contaminantes inorgânicos totais em embalagens, semelhantes aos existentes nos Estados Unidos e na Europa.

Publicação
Dissertação: “Chumbo, cádmio, mercúrio e arsênio em embalagens poliméricas para alimentos por ICP OES”
Autor: Paulo Henrique Massaharu Kiyataka
Orientadora: Juliana Azevedo Lima Pallone
Unidade: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA)

Ecologia Celular – O Papel da Alimentação e do Meio Ambiente no Envelhecimento e na Longevidade

Publicado em 29 de setembro de 2010 em Alimentação e Saúde por Paulo Guimarães


O livro Ecologia Celular – O Papel da Alimentação e do Meio Ambiente no Envelhecimento e na Longevidade, de autoria do médico Carlos Braghini Júnior foi lançado em 2008 e tem conteúdo de valor inestimável para quem deseja melhorar sua saúde através de mudanças na sua relação com o alimento e com o ambiente.



O autor divide o livro em quatro partes:
  • Na primeira aborda o conceito de ecologia celular – o corpo como um ecossistema vivo resultante da interação interna da comunidade de células de que é composto e desta com o meio ambiente.
  • Na segunda parte trata da importância que a alimentação representa para este ecossistema.
  • A terceira fala de metabolismo e mostra a relação das doenças, do envelhecimento e da longevidade com aquilo que comemos ou que deixamos de comer. Isso pode levar o leitor a “rever vários conceitos equivocados, como o de que o colesterol é responsável pelas doenças cardíacas ou que a soja é saudável”.
  • A última parte apresenta uma proposta de planejamento alimentar em três níveis: iniciante, intermediário e avançado.

A primeira parte do livro é um pouco árida para o leigo, apesar do esforço do autor em utilizar uma linguagem acessível. Mesmo assim, vale a pena o esforço de ler para quem quer efetivamente criar uma compreensão (algo bem acima de uma aceitação) das idéias apresentadas no livro.

Se você levar a sério esta primeira parte, principalmente por volta da página 32, onde o autor narra a carga de venenos (como o flúor da pasta de dentes) e alimentos inadequados (como leite desnatado) a que nos submetemos numa simples manhã, antes mesmo de sair de casa, é possível que você peça para que parem o planeta para você descer, por não ver solução.

O livro estabelece uma diferença interessante entre alimento e produto alimentício. Se algo estiver em bancadas ou espalhado em grandes caixas de um supermercado, tem boas chances de ser um alimento, mas quanto mais embalagens, pacotes, e organização houver nas prateleiras, maiores as chances de ser um produto alimentício. Evite estes últimos.

O ponto principal na virada da dieta alimentar ocidental, segundo o livro, estaria em um comitê criado pelo senado norte-americano, formado para analisar a alimentação daquele país e que foi coordenado pelo senador George McGovern. Na negociação política de elaboração da versão final do relatório, a recomendação de reduzir o consumo de carnes vermelhas e laticínios recebeu forte reprovação da bancada ruralista e foi reformulada para “como carnes magras, aves e peixes para diminuir a ingestão de gorduras saturadas”.

O autor lembra que quanto mais se come aquilo que a ciência tem orientado, mais as pessoas têm engordado. E dá as seguintes orientações ao final da segunda parte do livro:

  • Coma comida, evitando produtos alimentícios.
  • Evite os produtos que se dizem saudáveis.
  • Evite produtos com muitos ingredientes, ou que sejam desconhecidos ou de difícil pronúncia.
  • No supermercado, fuja das prateleiras das caixinhas.
  • Pague mais, alimentos mais saudáveis, orgânicos ou menos processados custam mais caro.
  • Coma menos. Há relação entre menor ingestão de alimentos e maior longevidade.
  • Coma vegetais, principalmente folhas.
  • Resgate o padrão cultural do ato de “se alimentar” em vez de “comer”.
  • Cozinhe e plante. É mais fácil de saber o que você está ingerindo.
  • Coma como um onívoro: diversifique seu cardápio.

Braghini começa a terceira parte do livro citando o dentista Weston Price, que será objeto de longa referência futura em nosso site, e a conclusão deste quanto à relação entre a má nutrição e as cáries e deformidades nos dentes.

Cita a forte influência que a alimentação exerce sobre a forma como os genes do indivíduo vão se expressar na constituição do seu corpo e, por extensão, de sua saúde presente e futura. Fala bastante na deterioração da qualidade dos alimentos processados e nas vantagens nutricionais de alimentos orgânicos, de carnes de animais de pasto.

Para quem deseja se aprofundar, há textos acessíveis sobre a forte dependência que nossas células têm do equilíbrio com o meio em que estão imersas (matriz extracelular ou mesênquima). O autor destaca também o papel de diversos nutrientes que ingerimos na interação celular e fala sobre o mito do colesterol, com ênfase no papel nefasto que as estatinas (termo genérico para os medicamentos prescritos para baixar o colesterol) provocam na saúde das pessoas.

Ainda na parte 3 do livro, há excelentes textos sobre a relação açúcar X insulina X longevidade, sobre exercícios físicos, sobre as gorduras e seu metabolismo, suficientes para quem quer entender e não apenas aceitar os danos que nossa alimentação moderna está causando à nossa saúde.

A última parte do livro é dedicada a um planejamento nutricional que o autor divide em três estágios: iniciante, intermediário e avançado. Mesmo focando nas sugestões de o que comer e o que reduzir, esta parte é densa de conteúdo e explicações sobre o que comer e o que não comer, com os respectivos porque sim e porque não. Uma ressalva, sempre há que ter uma, se refere à recomendação de uso de suplementos feita pelo autor e que do nosso ponto de vista deve ser evitada ou, no mínimo, deve ser transitória.

No fim do livro, o autor recomenda evitar o flúor, mesmo o da pasta de dentes, parar de fumar, abandonar o microondas, trocar forno a gás por elétrico, fugir do alumínio tanto na cozinha quanto nos desodorantes, não utilizar panelas com antiaderentes, reduzir nossa exposição aos campos magnéticos, armazenar alimentos em vidro, para fugir do Bisfenol-A (BPA), não tomar café em copos de plástico, sem falar no potencial agressivo dos nossos produtos de higiene e limpeza. Ou seja, aquela sensação de querer trocar de planeta que sentimos de forma leve ao ler a primeira parte, volta agora com força total no finalzinho do livro.

A última página do livro tem como subtítulo “Não desanime”. Pertinente, uma vez que depois de ler sobre tudo o que é abordado no livro, resta uma sensação de inadequação absolutamente paradoxal entre o nosso atual estilo de vida e a própria vida.

O autor mantém o site Ecologia Celular.

Kani Kama

Publicado em 20 de outubro de 2010 em Alimentação e Saúde por Paulo Guimarães
Carne de merluza com glutamato e adoçante. Você quer mais?

A embalagem detalha o produto: “Bastonetes de Surimi Congelados com Sabor Imitação Carne de Caranguejo”.

Você pensa que está comendo a saudável comida japonesa, na forma de um bastonete de carne de caranguejo e, no entanto, está comendo merluza com corante. Como se não bastasse, vêm junto óleo vegetal, açúcar e adoçante. Sem contar no onipresente glutamato monossódico.




Pela quantidade absurda de componentes que se vê em outros produtos industrializados, este aqui tem “apenas” 13 componentes, o que pode parecer pouco. É muito. É demais.

Por ser um produto congelado, era para ter apenas carne de caranguejo, água, e talvez um pouco de sal. Mais nada. Parece que há algumas décadas, até mesmo no Japão, o caranguejo só existe no nome do produto – kani - e às vezes no aromatizante, a carne é de merluza ou de outro peixe de carne branca e baixo valor comercial.

Ficha do Produto e Ingredientes

Nome Comercial: Kani Kama.

Fabricante: Arteva S. A. para Costa Sul Pescados.

Aquisição: Aracaju, outubro de 2010.

Distância rodoviária da fabricação à aquisição: 4.130 Km (fabricado em Montevideo / Uruguai).

O Kani Kama contém 13 componentes no total

8 ingredientes: surimi (polpa de merluza), água, amido, óleo vegetal, clara de ovo, sal, sorbitol (edulcorante) e açúcar.

5 aditivos: 1 flavorizante: essência natural de caranguejo; 1 realçador de sabor: glutamato monossódico; 2 corantes: cochinila e páprica; e polifosfato de sódio.

Contém Glúten? Sim.

Quanto de sódio? 116 mg em cada 20 gramas (1 bastonete).

Admitam os adeptos ou não, comida japonesa virou moda. E o que antes era uma comida cara, ficou acessível. Como? 

Com salmão de cativeiro (que se alimenta de ração com corante) no sashimi, merluza em vez de caranguejo no sushi e shoyu sem fermentar.

Precisa dizer que a saudável comida japonesa industrializou-se e deixou de ser saudável?

Fique mais um pouquinho e aproveite:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tem mais gente ....