Destaque na cerimônia do Oscar desse domingo, a atriz norte-americana Meryl Streep, de 64 anos, inspira mulheres do mundo inteiro com seu talento e incrível capacidade de parecer imune ao avanço do tempo. Protagonista do filme “Álbum de Família”, ao lado de Julia Roberts, a veterana do cinema vai na contramão de suas colegas de Hollywood quando o assunto é a batalha contra o envelhecimento cutâneo.
A favor de um estilo de vida natural, a estrela - que já faturou a estatueta de Melhor Atriz da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas por três vezes - acredita que a beleza da pele está ligada ao bem-estar do corpo e da mente. Por isso, segue, há mais de dez anos, uma dieta rica em alimentos orgânicos, que agem como
poderosos antioxidantes contra o surgimento de rugas e marcas de expressão do rosto. Além disso, integra a Organização Slow Food, que luta por uma alimentação de qualidade nos Estados Unidos.

Completamente avessa a tratamentos estéticos badalados e a cirurgias plásticas eficazes, a intérprete da ex-chefe do governo britânico, Margaret Thatcher, no filme “Dama de Ferro”, assume sem medo os sinais da idade, dando um chega pra lá na busca incessante pela juventude, tão comum no meio artístico.

“Entendo as atrizes que fazem operações plásticas para continuar a trabalhar, pois a maioria dos papéis disponíveis é para jovens bonitas. Mas isso é uma armadilha, não caio nela, não”, disse a ícone das telonas em entrevistas à imprensa internacional.

Considerada por muitos a atual diva da sétima arte, Meryl também recorre, no entanto, a alguns produtos indispensáveis para a mulher que deseja ficar bonita, em qualquer idade. Avessa ao sol, ela procura evitar ao máximo a exposição aos raios ultravioleta e não abre mão de aplicar o tradicional protetor solar no rosto e no corpo todos os dias.

Além disso, tem o hábito de remover as células mortas da superfície cutânea com o produto Tracie Martyn Enzyme Exfoliant e manter a hidratação na medida certa com cremes específicos para o seu tipo de pele - um ritual de beleza simples, feito sem qualquer pretensão de mudar por completo a sua aparência.

“Acho que mesmo pequena, eu já era velha. Se puxo pela memória, me vejo menina, em frente ao espelho, esmagando o rosto entre as mãos e contando exatas onze rugas. Ainda tenho as mesmas onze rugas, só que um pouco mais marcadas. E tenho carinho por cada uma delas”, afirmou.


Agência Hélice