sexta-feira, 26 de setembro de 2014

O papagaio preso


Um homem tinha um papagaio preso em uma gaiola. Um dia, resolveu viajar para a Amazônia e perguntou ao seu papagaio, em tom de brincadeira, se ele queria que trouxesse algo de lá.

O papagaio gentilmente lhe pediu:

- Se vires um bando de papagaios voando livres na natureza, pergunta-lhes como também posso ser livre e voar.

O dono riu de seu louro e saiu.

Já na Amazônia, o mercador viu um bando de papagaios voando livremente e gritou-lhes a pergunta de seu louro.

- Eu tenho um papagaio em uma gaiola! E ele quer saber como pode ser livre e voar!

Ao ouvi-lo, o papagaio líder do bando caiu no chão como morto, e lá ficou...

O homem ficou triste... Não entendeu o que tinha acontecido, mas aquela cena ficou gravada em sua memória.

Ao voltar, contou o ocorrido ao seu papagaio, e este, para seu espanto, tombou como morto dentro da gaiola. O homem lamentou, mas, resignado, retirou o louro inerte do fundo da gaiola e o atirou ao quintal. No próprio impulso com que foi jogado, ele alçou voo e pousou em um galho.

O homem, muito admirado, perguntou-lhe:

- Afinal, o que significa tudo isso?

E o papagaio, levantando novamente voo em direção ao horizonte, respondeu-lhe:

- Apenas segui a lição de meu mestre.

Siga seus instintos

Nascemos para viver e vivemos para ser felizes. Não há nenhum sentido em viver se nos for castrada a possibilidade de ser feliz e conseguir aproveitar aquilo que desejamos e sonhamos.

Qualquer tipo de aprisionamento - uma profissão mal escolhida, um casamento entediado ou uma cidade que não lhe dá mais prazer em morar, por exemplo - lhe trará o mesmo sentimento de nosso colega papagaio, da metáfora de hoje.

Dentro daquilo que nos propomos fazer, respeitando as pessoas que estão em nossa jornada, devemos ser livres, buscando nosso constante desenvolvimento pessoal, intelectual e profissional.

Nenhum casamento pode castrar a felicidade do marido ou da esposa - ambos devem ser felizes juntos, com respeito, ternura e buscando os sonhos individuais e do casal. Sou casado há quase 10 anos e tenho essa premissa, que vem dando bem certo! Claro que isso não é uma obra só minha - minha esposa também pensa como eu.

De outro lado, nenhum trabalho ou profissão pode fazer do homem um escravo e, pior, emburrecê-lo em atividades rotineiras que não propiciam seu desenvolvimento intelectual.

Se você se sentiu incomodado(a) com as reflexões acima, será que não é a hora de fingir de morto e buscar novos horizontes?



Que você tenha um final de semana incrível!

Abraços sustentáveis,




Marcio Zeppelini







NOTA DE RODAPÉ
A infelicidade é a liberdade aprisionada dentro de nós
Marcio Zeppelini

terça-feira, 23 de setembro de 2014

A Jaboticabeira

jaboticabeira

Um jovem aproximou-se de um senhor de muita idade e perguntou:

- Que planta é esta de que o senhor está plantando?
- É uma jabuticabeira - respondeu o velho.
- E ela demora quanto tempo para dar frutos?
- Ah, pelo menos uns quinze anos - informou o homem.
- E o senhor espera viver tanto tempo assim? - indagou, irônico, o rapaz.
- Não, não creio que viva tudo isso, pois já estou no fim da minha jornada - disse o ancião.
- Então, que vantagem o senhor leva com isso?
E o velhinho respondeu calmamente:
- Nenhuma, exceto a vantagem de saber que ninguém colheria jabuticabas se todos pensassem como você...
Medidas de hoje repercutirão no futuro

Jamais conseguiremos comer nossas próprias “jabuticabas” se não as plantarmos, regarmos e adubarmos. Dia-a-dia, devemos cuidar de nossos objetivos com carinho e dedicação pensando no dia em que estivermos nos lambuzando de “jabuticabas maduras”.

Elas demoram para aparecer no pé, mas só aparecerão se você estiver convicto de que verá a “árvore cheia de bolinhas pretas”.

E tomara que você sinta orgulho de poder fazer, de alguma forma, parte do futuro e ter dado a sua contribuição à humanidade sem necessariamente achar que só você comerá as jabuticabas que você planta.

Abraços sustentáveis.

Marcio Zeppelini.

NOTA DE RODAPÉ:

“Plante sonhos. Regue dedicação. Adube com otimismo. Colha conquistas”
Marcio Zeppelini

Você quer ser igual a quem?

Fonte: Ser Sustentável
A escola dos bichos

28032-Chicken-kitten-and-bunny-rabbits-white-background
Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Para isso reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas.
O pássaro insistiu para que houvesse aulas de voo.

O esquilo achou que a subida perpendicular em árvores era fundamental. E o coelho queria de qualquer jeito que a corrida fosse incluída. E assim foi feito, incluíram tudo, mas... cometeram um grande erro: insistiram para que todos os bichos praticassem todos os cursos oferecidos.

O coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele, mas queriam ensiná-lo a voar. Colocaram-no numa árvore e disseram: "voe, coelho". Ele saltou lá de cima e "pluft"... coitadinho! Quebrou as pernas e se machucou todo. Não aprendeu a voar e acabou sem poder correr também.

O pássaro voava como nenhum outro, mas o obrigaram a cavar buracos como uma topeira. Quebrou o bico e as asas e, por isso, não conseguiu mais voar tão bem, nem mais cavar buracos.
Fortifique suas Habilidades

É necessário que você recolheça e fortaleça suas próprias qualidades, sem tentar atribuí-las a ninguém.

Todos nós somos diferentes uns dos outros e cada um tem uma ou mais qualidades próprias. Não podemos exigir ou forçar para que as outras pessoas sejam parecidas conosco ou tenham nossas qualidades. Se assim agirmos, acabaremos fazendo com que elas sofram e, no final, elas poderão não ser o que queríamos que fossem e ainda pior, elas poderão não mais fazer o que faziam bem feito antes.

Da mesma forma, não tente fazer o que os outros fazem só para se comparar a eles, pois você vai “quebrar suas asas” e deixar para traz aquelas suas qualidades que são só suas.

Profissionalmente, por exemplo, tenho habilidades para falar em público ou criar peças publicitárias, mas não tenho grandes habilidades com assuntos contábeis ou fiscais - o que sei é porque fui obrigado por ser empresário. Na vida pessoal, modéstia a parte, cozinho bem. Mas não me peça para dançar…

Abraços sustentáveis.
Marcio Zeppelini

Há algo em seu "sapato" lhe incomodando?

Fonte: Ser Sustentável
leaving the Zendo and more tete-a-tete
O Sucessor do Monge

Diz uma lenda que um monge, próximo da idade para se aposentar, precisava encontrar um sucessor. Entre seus discípulos, dois já haviam dado mostras de que eram os mais aptos, mas apenas um poderia sucedê-lo. Para sanar as dúvidas, o mestre lançou um desafio para colocar a sabedoria dos dois à prova.

Ambos receberam alguns grãos de feijão que deveriam colocar dentro dos sapatos, para então empreenderem a subida de uma grande montanha.

Dia e hora marcados, começa a prova. Nos primeiros quilômetros, um dos discípulos começou a mancar. No meio da subida, parou e tirou os sapatos.

As bolhas em seus pés já sangravam causando-lhe imensa dor. Por causa disso ficou para trás, observando seu oponente sumir de vista.
Prova encerrada, todos voltam ao pé da montanha para ouvirem do monge o óbvio anúncio. Após o festejo, o derrotado aproxima-se e pergunta ao seu oponente como é que ele havia conseguido subir e descer com os feijões nos sapatos:

- Antes de colocá-los no sapato, eu os cozinhei – foi a resposta.
Diversifique suas soluções!

O como você “carrega os feijões” faz toda a diferença. Veja o que está incomodando em sua vida e mude a forma de lidar.

Problemas são inevitáveis. Já a duração do sofrimento e o como você lida com eles é você quem determina. Há sempre um jeito mais fácil de levar a vida e os problemas que ela oferece.

Se separarmos a realidade das especulações - tanto positivas quanto negativas - fica mais fácil de aceitar o que existe, comemorar o que tem de bom daquilo e, com calma e, principalmente, com inteligência, podemos encontrar soluções menos dolorosas à parte ruim da realidade.

Cozinhe seus feijões!

Abraços sustentáveis.
Marcio Zeppelini

Nota de Rodapé: 
"Somente quando está suficientemente escuro, você consegue ver as estrelas."
Charles Beard

Vc sabe como se faz bolinha de gude?



Você que acabou de abrir o seu email, e recentemente cadastrou aqui no Dicas certamente esperava receber uma super dica sobre sustentabilidade não é? Pois é, e acaba recebendo uma dica sobre bolinhas de gude e se pergunta? Mas como pode isso? Que m… é essa?

Pois é mais uma vez, apesar de parecer uma brincadeira de criança, a produção de bolas de gude em 2014 como no passado é de suma importância para o nosso planeta e para a reciclagem de vidro. É sim! pode acreditar, a produção da bolinha que brincávamos no passado quando moleque recicla muito vidro e até matérias vidro de velhos tubos de TV. Isso você não sabia, eu tenho certeza


O que é uma Bolinha de Gude

A bolinha, nada mais é do que um pedacinho de fita de vidro incandescente que foi cortado e moldado em forma de bolinha, no vídeo você verá como é feito, e é bem legal. Após ela esfriar, ela vira o brinquedo que muitos amam até hoje. Todos os dias somente neste pequena fábrica que mostramos no vídeo recicla-se vidro de diversas origens e produzindo cerca de 3 toneladas de bolinhas de gude, todos os dias. Sim, sim! Todos os dias.

Pode até parecer uma brincadeira dos anos 80, mas saiba que esta brincadeira inocente, já consta nos registros há mais de 1600 anos! As bolinhas certamente podem ser rastreadas até o início da produção do vidro pelo homem lá na China :O Acredite!


A função da Reciclagem na Produção das Bolinhas

A reciclagem de vários materiais que muitas vezes você apenas descarta como lixo, pode acabar indo parar na produção dessa bolinha coloridinha aí.

Você sabia que até são vários tipos de vidro que podem acabar no forno para produção das bolinhas? Desde vidro de espelho do banheiro, garrafas de vinho, tubos de televisão e outras centenas de fontes de vidro que você e eu imaginávamos, ou seja, todo tipo e caco de vidro vai parar lá. O que é bom né, pois o que seríamos sem a reciclagem de vidro? Certamente essa material que pode ser reciclado indefinitivamente e que nunca perde sua propriedade seria descartado como lixo e nunca mais poderíamos utilizar esta matéria prima inigualável.


Ficando rico vendendo Bolinhas de Gude?



Quem disse que essa bolinha não gera renda e muito dinheiro para algumas pessoas? Brincadeira? Nada disso! Há pouco tempo atrás em Londres descobriu-se um menino de apenas 8 anos que desenvolveu seu próprio negócio, e aí você me pergunta. Que tipo de negócio? E se você respondeu, vendendo bolinhas de gude acertou. Sim! Harli Jordean ficou rico penas penas vendendo as bolinhas coloridas pela internet, o menino é tão malando que empregou até a sua mãe.

Tirando o destalhes deste novo negócio, o que mais nos chama a atenção é do fato deste produto ser tão antigo e que muito moleque ainda nem a conhece. A era da tecnologia tirou um pouco da molecagem das crianças e este brinquedo antigo mais funcional fez a alegria de muitos pais pois era barato e de fácil acesso. O que seria de nós sem esta bolinha para brincar quando criança? Nem gostaria de imaginar, mas certamente seríamos um adulto frio e muito menos feliz.

Agradeço a todos por ter essa experiência na minha pequena estadia na terra quando criança e um dia certamente voltarei a brincar com elas, mas em outro tempo.

Foram bons dias e esperamos que cada vez mais as bolinhas possam ser disseminadas e que muito mais vidro seja reciclado.

Então se você tem aquele velho copo que foi quebrado, não o jogue no lixo comum, separe-o, pois certamente ele poderá parar na bolinha de gude do seu filho.

Greenpeace está contratando


Logo

Gostaria de trabalhar num ambiente criativo e desafiador, com o objetivo de proteger o meio ambiente? Seja um Campaigner do Greenpeace!
Greenpeace é uma organização independente que trabalha com campanhas ativistas e usa a não-violência e o confronto pacífico para expor problemas ambientais globais e para conduzir às soluções que são essenciais a um futuro verde e pacífico.
Um(a) Campaigner cria e implementa estratégias para solucionar problemas ambientais diversos, apontando os responsáveis pelo problema, o que precisa mudar e como cada cidadão pode colaborar. Esses projetos de campanhas defendem e comunicam os nossos valores e posições organizacionais, envolvendo e mobilizando o público, exercendo pressão sobre governos e empresas e garantindo as mudanças necessárias.

Campaigner de Agricultura Sustentável

A agricultura do mundo está em crise, e o Brasil está no centro deste debate: temos hoje um sistema agrícola profundamente controlado por grandes empresas e baseado em tecnologias destrutivas, insumos químicos e práticas dependentes de grande quantidade de energia. 
Mas esta não precisa ser a regra: é possível produzir alimentos sem contaminar o solo, a água, os trabalhadores e consumidores; sem desmatar; sem emitir milhares de toneladas de gases do efeito estufa e sem destruir nossa rica biodiversidade. 
O candidato trabalhará na campanha de Agricultura Sustentável, atuando para garantir um modelo de agricultura que seja bom para o planeta e para as pessoas.


Requisitos:
Universitário Completo
Inglês avançado
Desejável experiência anterior em grupos de ativismo ou projetos socioambientais.
Disponibilidade para viagens.
Horas de Trabalho:
09h as 18h de segunda a sexta;
Enviar pretensão Salarial.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Radiestesia


De acordo com a física, tudo é vibração. 
A radiestesia pode ser definida como sensibilidade a radiações. 

Tudo irradia uma série de frequências com longitudes de ondas variáveis, o que confere a cada parte da matéria uma vibração especial ou específica. Está mais do que cientificamente comprovado que todos os corpos emitem radiações na forma de onda que nos rodeiam o tempo todo e de forma contínua quer seja o corpo físico, ou o nosso cérebro e demais sistema no nosso corpo. Essas impressões ficam registradas no nosso inconsciente. Quando entramos em sintonia com as ondas externas, o cérebro interpreta-as e manda a informação daí resultante para o inconsciente. Isso acontece na forma de ondas internas através da atividade neuromuscular, o que provoca a reação externa em forma de movimento nos instrumentos radiestésicos. 

Esta técnica era e ainda é, o método empregado no Feng Shui para buscar e avaliar campos energéticos com ou sem alterações telúricas, esta é dada ao ponto de encontro de dois cursos de água, sejam estes superficiais ou subterrâneos. Também é utilizada para analisar emanações energéticas e radioativas, poluição eletromagnética, emprego e uso das cores associadas aos elementos, ionização do ar e suas polarizações, fissuras geológicas e magnetismo, direções e opções, dando um diagnóstico do local.

Dessa forma, constatamos que os instrumentos radiestésicos funcionam como uma antena amplificadora do sinal emitido a partir do inconsciente que se encontra ligado às radiações/vibrações de todo o Universo. 

As respostas obtidas através desses instrumentos são então interpretadas, podendo ser utilizadas para diagnósticos médicos, prospecção de jazidas, localização de veios de água, minérios, pessoas e objetos perdidos dentre muitas outras coisas. 

Essa pesquisa só é possível quando o operador entra em sintonia ou ressonância com objetos ou anomalias pesquisados e o seu sistema neuromuscular. 

O sistema neuromuscular do operador emite impulsos involuntários que provocam movimentos nos instrumentos radiestésicos. Assim, o objeto da pesquisa se torna o transmissor, o cérebro do operador, o receptor, e o instrumento radiestésico, uma antena amplificadora, assim que funciona os equipamentos para radiestesia.

A radiestesia apenas detecta situações e diagnostica, não trata e não cura.

Mais: ilosa.terapias@gmail.com

AS 20 REGRAS PARA SER FELIZ

Quem conseguir tornar consciente e colocar em prática essas regras, possivelmente aprenderá a viver com qualidade. Instituto Eneagrama - 21...