quinta-feira, 2 de março de 2017

CHEIROS PARA AMENIZAR FERIDAS EMOCIONAIS

       Aromas controlam raiva, dificuldade de expor sentimentos, traumas e mais


Fonte: Personare

No dia a dia estamos rodeados de aromas, cheiros e odores que afetam diretamente nossa vida. Alguns servem de alerta, como, por exemplo, o cheiro de queimado, que indica algo errado: comida ou algo pegando fogo. Outros são capazes de alcançar as regiões mais profundas de nosso cérebro e evocar as memórias do passado ou deflagrar emoções.


O olfato é o sentido que está mais ligado às regiões do cérebro envolvidas em emoções e memórias: o sistema límbico. Alguns cheiros também podem fazer com que ocorra a ativação do hipotálamo, resultando na produção de hormônios que controlam as funções fisiológicas, como apetite e comportamento sexual. Outra região é o hipocampo, que é importante para a formação das memórias olfativas. Isso significa que um cheiro específico pode desencadear memórias de nossa infância ou de experiências que foram boas ou ruins. Tudo vai depender dos arquivos que serão abertos nesse departamento do nosso cérebro, a morada das nossas memórias.

Não apagamos memórias. Uma vez registradas, elas passarão a fazer parte de nossas vidas, pois estão no cérebro. Neste sentido, podemos usar a Aromaterapia para resgatar ou amenizar estados emocionais atrelados a estas lembranças. Existem muitos óleos essenciais apropriados para limpar velhos sentimentos que podem estar contaminando nossa vida."Existem muitos óleos essenciais apropriados para limpar velhos sentimentos que podem estar contaminando nossa vida."

Grande parte das doenças tem origem nas emoções mais profundas que estão em desequilíbrio, como raiva, medo, angústia, ressentimentos e mágoas, dentre outras. Nestes casos, a primeira coisa que precisamos fazer é entrar em contato com essa emoção e entender de onde ela vem. Depois, tentar amenizar estas questões. Veja abaixo como a Aromaterapia pode ajudar.


DE ONDE VEM O CHEIRO?
Qual a diferença entre o cheiro de uma rosa e de uma laranja? As pesquisas na área do olfato são muito recentes e estão em crescente avanço. O papel mais importante do olfato para o homem talvez seja o de garantir a percepção dos sabores dos alimentos. Sem o olfato, o gosto da comida fica restrito às sensações que são detectadas pela língua: doce, amargo, salgado ou azedo. Sem este sentido fica difícil diferenciar um sabor doce de um amargo, por exemplo.


PARA TRABALHAR O PERDÃO
Para ajudar a tomar consciência das suas emoções conflituosas e perdoá-las, alguns óleos essenciais podem funcionar como aliados:



Óleo essencial de Rosas: trabalha a aceitação, o discernimento, a paciência, o amor incondicional, o perdão e o autoperdão. Além disso, cicatriza as feridas abertas na alma e no físico e ajuda a amenizar estados de culpa e remorso.

+ Pratique o autoperdão



Óleo essencial de Íris: ensina a ver o lado positivo de todas as situações, mostrando que perdoar significa deixar o coração leve, ter aceitação e entendimento das situações.

Como usar os óleos: pingue de 1 a 2 gotas em um difusor aromático pessoal e use no dia a dia. Caso não tenha um difusor, pingue a mesma quantidade de óleo no seu lençol ou travesseiro.

PARA TRABALHAR A RAIVA

Já se a raiva for uma emoção constante na sua vida, a especialista Shirley Price, no livro Aromaterapia e as Emoções (Ed. Bertrand Brasil), sugere alguns óleos essenciais para trabalhar este sentimento:


Óleo essencial de Lavanda: trabalha o equilíbrio da alma e diminui aspectos inflamatórios - tanto das emoções como do corpo - além de trazer calma e equilibrar nossas emoções.
+ Lavanda também ameniza estresse e diminui estados depressivos



Óleo essencial de Hortelã Pimenta: ajuda a trabalhar a intolerância, a irritabilidade e a impaciência.
+ Hortelã: o óleo da disposição e do verão



Óleo essencial de Camomila Romana: tem efeito calmante, ajuda nas angústias, amargura, irritação constante, tristeza profunda e depressão.
+ Angústia é fantasia da mente

Como usar os óleos: pingue de 1 a 2 gotas em um difusor aromático pessoal e use no dia a dia. Caso não tenha um difusor, pingue a mesma quantidade de óleo no seu lençol ou travesseiro.

PARA TRABALHAR TRAUMAS FÍSICOS E EMOCIONAIS

Já os traumas, como abusos sexuais, também podem gerar doenças no corpo físico, como candidíase e infecção urinária. Muitas vezes a violência emocional é difícil de ser notada por quem a sofre, mas alguns óleos podem ajudar nestas questões. São eles:
+ Você possui algum trauma mal resolvido?



Óleo essencial de Vetiver: trabalha estrutura, flexibilidade, aterramento, autoconfiança e determinação, trazendo coragem para enfrentar nossos desafios.
+ Vetiver: o óleo da segurança





Óleo essencial de Benjoim: traz acolhimento em momentos de desespero e traumas. Nos conduz de volta ao eixo, transmutando dores e feridas.


Óleo essencial de Cenoura: cicatriza as emoções e as feridas que geralmente são acompanhadas de sentimentos de amargura e rancor. Também ajuda a desinflamar sentimentos de raiva e agressividade.

+ Traumas sexuais ficam registrados no útero e canal vaginal

Como usar os óleos: pingue de 1 a 2 gotas em um difusor aromático pessoal e use no dia a dia. Caso não tenha um difusor, pingue a mesma quantidade de óleo no seu lençol ou travesseiro.

PARA DIFICULDADE EM EXPOR SENTIMENTOS

Quando engolimos as emoções e não conseguimos nos comunicar como deveríamos nos conflitos com as pessoas em nossos relacionamentos, expondo nossos sentimentos, podemos desenvolver doenças do sistema digestório, como a gastrite, azia, queimação e refluxos, por exemplo. Segundo Valcapelli, no livro "Metafísica da Saúde" (Ed. Vida e Consciência), gastrite é a inflamação do estômago, produzida por agentes irritantes, de fundo emocional, que causam o problema. Se este é seu caso, alguns óleos essenciais indicados são:



Óleo essencial de Capim Limão: ajuda nas situações em que fomos invadidos, engolimos sapos ou nos sentimos sufocados e oprimidos. É indicado para ajudar a se expressar e colocar emoções reprimidas para fora, como irritabilidade e raiva contida.
+ Capim Limão: o óleo da intuição



Óleo essencial de Pinho: ajuda na saúde dos relacionamentos, pois melhora a comunicação, o diálogo e o respeito entre as pessoas.



Óleo essencial de Patchouly: ajuda a quebrar padrões de comportamento, rigidez e sair de pensamentos obsessivos.

Como usar os óleos: pingue de 1 a 2 gotas em um difusor aromático pessoal e use no dia a dia. Caso não tenha um difusor, pingue a mesma quantidade de óleo no seu lençol ou travesseiro.

Claro que existem muitas outras doenças, mas o mais importante é identificar seus sentimentos e emoções e depois buscar ajuda para que isso não se torne alguma doença no futuro.
Lembrando que Paracelso (1493-1541), médico e alquimista disse: "Todas as substâncias são venenos, não existe nada que não seja veneno. Somente a dose correta diferencia o veneno do remédio".

Portanto, caso tenha dúvidas se pode usar os óleos citados acima, não hesite em contatar um profissional em Aromaterapia para lhe ajudar a entender o que se passa em sua vida e indicar os melhores óleos para seu caso. Também vale reforçar que algumas questões precisam de um apoio profissional para ter uma melhora efetiva, pois cada indivíduo é único e, muitas vezes, um determinado óleo ajuda uma pessoa, mas não necessariamente terá o mesmo efeito em outra. Afinal, a origem de cada problema depende da vivência e das questões de cada um.

+ DE AROMATERAPIA


Aromas no combate ao medo



Aromaterapia para enfrentar momentos difíceis


Qual cheiro pode ser usado em seu negócio?



Diferenças entre óleos essenciais e essências


SOBRE O AUTOR

SOLANGE LIMA
Terapeuta holística e numeróloga. Utiliza técnicas como Florais, Aromaterapia, Cromoterapia, Shiatsu, Reflexologia e Reiki. Realiza atendimentos em São Paulo.

AS 20 REGRAS PARA SER FELIZ

Quem conseguir tornar consciente e colocar em prática essas regras, possivelmente aprenderá a viver com qualidade. Instituto Eneagrama - 21...