segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Por que você precisa adotar o Oosouji, tradição milenar japonesa da faxina de fim de ano

Fonte: Hypeness

Se muitos rituais ou manias de fim de ano podem ser vistas como meras superstições, o tradicional ritual japonês de Oosouji não pode ser acusado do mesmo. Trata-se de um hábito milenar de realizar uma enorme e detalhada faxina, não só em suas casas, mas nos locais de trabalho, escolas, praças e até nas ruas. 

O ritual visa a higiene, ao mesmo tempo que serve como “purificador”, do ponto de vista espiritual, para o novo ano que se inicia.



Como as empresas costumam entrar em recesso alguns dias antes do ano novo, nos locais de trabalho o Oosouji acontece 2 ou 3 dias antes do réveillon. 

Para as residências, o ritual implica em realizar a faxina mais detalhada do ano, tirando todos os móveis de lugar, e limpando com afinco cada cantinho esquecido e principalmente jogando fora ou doando coisas que você não utiliza mais.



O Oosouji serve como perfeita oportunidade para trocar o tapete, o papel de parede ou qualquer outra parte velha da casa por uma nova e limpa.



Independentemente do sentido ou do efeito místico – se o ritual de fato joga fora o lixo espiritual e organiza nossas energias para o ano por vir – o fato é que uma bela faxina é sempre uma boa ideia.



O ritual demonstra também o compromisso com o espaço público e a comunidade que a população japonesa possui, e que seria muito bem vindo por aqui, além de literalmente organizar a vida e nos traz o prazer de cumprir uma dura tarefa – e a recompensa de se estar em uma casa tinindo de limpa, o que é necessariamente um bom espirito para entrar no ano que começa.



© fotos: divulgação

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Ervas e especiarias auxiliam na hora da limpeza.

Fonte: Recriar com você



Ervas e especiarias têm uma longa história de uso. Desde a Antiguidade, elas já faziam parte do preparo de alimentos, de medicamentos e, em algumas religiões, eram o instrumento para “limpeza espiritual”. Com o passar do tempo, também foram sendo usadas como desinfetantes, aromatizantes e até objetos de decoração. Por exemplo: ervas como orégano, alecrim e tomilho eram dispersas no chão em ocasiões festivas, como casamentos. Enquanto os convidados andavam e dançavam sobre as ervas, essas liberavam suas fragrâncias sobre o ar – bem mais romântico do que aqueles aromatizantes de ligar na tomada, não é mesmo?

Ervas como hissopo e arruda, considerados desinfetantes, eram dispersas ao redor de ambientes de risco para manter doenças sob controle. Ervas e especiarias também são usadas para auxiliar no controle do peso. Hoje, enquanto é muito mais comum usar produtos de limpeza repletos de químicos nocivos, há pessoas fazendo seus próprios produtos de limpeza “verdes”, usando ingredientes como óleo essencial e especiarias, que limpam bem e deixam um aroma mais natural no ambiente.

O segredo para fazer o seus próprios produtos de limpeza está no conhecimento dos seus ingredientes. Fazer produtos de limpeza não é algo assustador como parece, não é difícil, não consome muito do seu tempo, e os resultados realmente funcionam. Essa pode ser uma saída econômica, pois, geralmente, os produtos de limpeza disponíveis no mercado são caros e possuem muitos produtos químicos tóxicos; assim, além de economizar dinheiro, você também terá benefícios à sua saúde, evitando agentes como triclosan, cocamida DEA, tolueno (metilbenzeno) e lauril sulfato de sódio.

Ervas e especiarias são razoavelmente baratas, então por que não cultivar algumas em seu próprio quintal?

Você sabe diferenciar ervas de especiarias?

Ervas são folhas de plantas. As principais ervas são: manjericão, orégano, cebolinha, manjerona, salsa, alecrim, sálvia, hortelã, tomilho. Geralmente são utilizadas frescas, pois o cozimento reduz o seu aroma.

Especiarias são produtos de origem vegetal como sementes, brotos, frutas, flores, cascas e raízes de plantas. As especiarias também são utilizadas na preparação de óleos, cosméticos, incensos e medicamentos. Devido à presença de óleos essenciais as especiarias possuem aroma e sabor mais acentuados. As principais especiarias são pimenta do reino, canela, noz-moscada, cravo-da-índia, anis estrelado, baunilha, cardamomo, gengibre, coentro, pimenta malagueta, mostarda em grão, açafrão, pimenta-da-jamaica.

Receitas

• Limpador de pia aromatizado

Misture no liquidificador 1/4 de xícara de folha de hortelã, uma xícara de bicarbonato de sódio e uma colher de sopa de sal. Polvilhe em sua pia, adicione um pouco de água e esfregue.

• Limpador de janelas feito com ervas
Misture em um frasco com borrifador dois copos de erva-cidreira cozida e coada e 1/2 xícara de vinagre. Aplique na janela, em seguida, seque com jornal velho ou com um pano macio.

• Desodorizador de sala
Ferva com água uma mistura de cascas de laranja e canela em pau. Enquanto você começa a limpeza da casa, isso já irá aromatizar o ar! É uma ótima saída para substituir os aromatizadores de ar, repletos de produtos químicos.Também é possível fazer um pot-pourri para aromatizar o ambiente.

• Aromatizador de lavanderia
Adicione uma ou duas gotas de seu óleo essencial favorito em um pano e, em seguida, coloque o pano na secadora, junto com suas roupas; isso vai deixar o cheiro da sua roupa incrível!

• Multiuso sem produtos tóxicos
Existem muitos produtos de limpeza à base de ervas e itens naturais para explorar. Mas aqui vai uma receita de um produto que pode ter diversos usos.

Cascas de frutas cítricas, vinagre, água.
1. Encha um frasco de vidro com as cascas – não é necessário preencher tudo de uma vez, pode coletar aos poucos. Sempre que você comer uma laranja, por exemplo, jogue a casca na jarra.

2. Quando o frasco estiver cheio, despeje vinagre sobre as cascas até cobrir.

3. Deixe a mistura descansar por pelo menos duas semanas e meia. O vinagre vai assumir uma coloração laranja/dourada e um forte aroma cítrico.

4. Encha metade de um frasco spray com a mistura, e preencha o resto com água.

5. Utilize um pano para limpar. Ele funciona bem em pias, espelhos, janelas, pisos, cadeiras de madeira e balcões. O melhor de tudo é que ele é feito com as cascas de frutas cítricas, uma outra alternativa para diminuir os resíduos.

Fonte: Equipe Ecycle, Espaço Ecológico

Um gesto nobre, funcionária convida cliente idoso para jantar depois de descobrir que ele não tinha amigos.



Fonte: BEM MAIS MULHER

Edição de Alexandre Cardoso

Existem pessoas que tem um dom de mudar uma determinada situação ou até mesmo salvar uma vida, com um simples gesto nobre a GENTILEZA!

Esse é o caso de Ellie, uma moça simples batalhadora que foi capaz de se solidarizar com o próximo através de uma conversa com um cliente. Veja essa história.

Edwin Holmes, um senhor de 86 anos, estava nervoso como um adolescente, pois em 55 anos seria seu primeiro, colocou sua melhor roupa e como um verdadeiro cavalheiro levou um arranjo de flores para Ellie.




Ellie, aliás é funcionária de uma das franquias da rede de supermercados Sainsbury. A três anos trabalhando na franquia sempre foi preocupada em como atender da melhor maneira seus clientes.

“Para mim, a parte mais importante do meu trabalho é falar com os clientes e saber como o seu dia está indo.”

No natal passado como de costume Ellie estava atendendo o Sr Edwin, quando o mesmo falou que não tinha amigos proximos e nem parentes.

Com uma delicadeza e um gesto nobre, a funcionária o convidou-o para um jantar. Edwin é o meu cliente favorito, ele é um verdadeiro cavalheiro, distinto e conservado.

Eu pensei que se fosse meu avô que estivesse só, gostaria que alguém conversasse com ele, e o tratasse com gentileza.

Os dois aliás se tornaram grandes amigos e frequentemente se encontram para tomar um café e colocar a conversa em dia.

Edwin que é ex-pintor e decorador disse: “O jantar me deixou muito feliz porque era inesperado e eu tinha companhia muito agradável.”


O aposentado vive em um abrigo, não muito longe do supermercado. Ele perdeu a esposa em 2006, com quem foi casado por 45 anos. Ele não tem família nos Estados Unidos, pois sua filha e os dois netos vivem na Austrália.






Fonte: Razoesparaacreditar

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Gente madura não tem frescura

Texto muito bom e realmente quando a gente "cresce" tudo fica mais fácil.




Maturidade não é sinônimo de seriedade, e sim responsabilidade. Chega muito cedo para uns poucos, e nunca para outros. Nos resguarda dos mi mi mis e blá blá blás, e traz significado ao que importa de fato.

Gente madura não vive correndo atrás de aprovação ou explicação. Tem noção para quem deve satisfação e é pra esses que abre seu coração. Não vive de suposições nem ilusões. Não cria mundos a partir de pensamentos vagos nem alimenta expectativas em cima de sentimentos rasos.

Gente madura sabe se absolver. Não se leva tão a sério, chuta o balde de tempos em tempos, desculpa suas incapacidades e aceita suas precariedades.

Gente madura não se cobra a perfeição nem exige tanto de si e dos outros em nome de uma imagem imaculada e um semblante engessado. Ao contrário, aprendeu a rir dos tombos que leva e a fazer limonada dos limões que a vida lhe dá.

Gente madura não tem frescura com a própria vida e por isso consegue se deixar em paz. Já caiu e levantou tantas vezes que aprendeu a não sofrer por pequenices e superficialidades. Perdoa o cabelo mal humorado, a pele ressecada, a gordurinha fora do lugar. Não se tortura com fios puxados na blusa de lã, pregos fixados com diferença de altura, unha do mindinho descascada. Não se patrulha por repetir a sobremesa no almoço ou o vinho no jantar. Sabe que um dia compensa o outro, e que o saldo final é ser feliz.

Gente madura sabe que é exaustivo tentar ser legal o tempo inteiro. Por isso impõe limites e cuida bem de si. Zela pelos que ama mas entende que não é possível agradar a todos o tempo todo.

Gente madura não tem medo de errar nem de viver. Experimenta

sabores novos, inova na frente do espelho, recomeça depois de uma fossa, assume que estava errado, pede perdão, se reconcilia com sua história.

Gente madura não faz drama. Enfrenta os dissabores com bravura e vive os dias comuns com gratidão e maravilhamento. Com isso, aprende a ser feliz. A não comparar a própria vida, a não querer chegar na frente, a não desejar subir no podium da ilusão. Gente madura ama a própria realidade e não cobiça o mundo alheio. Não se faz de vítima nem vive ressentida. Ama o que lhe cabe e não se fecha para a alegria.

Gente madura aceita bem as diferenças e convive bem com as divergências. Ouve, analisa e tira suas conclusões sem impor seus conceitos como verdade absoluta.

Gente madura não faz alarde da tristeza nem da felicidade. Curte seus momentos com serenidade e não mede sua vida pela popularidade.

Gente madura tem um coração sossegado. Um coração que aprendeu a ser sereno e não se desgastar por bobagem. Já trilhou estradas de anseios, expectativas, constatações e frustrações. Sabe que não adianta dar murro em ponta de faca, procurar chifre em cabeça de cavalo ou botar o carro na frente dos bois. Entende que com paciência e fé em Deus, não é preciso fazer tempestade em copo d’água.

Maturidade é conquista, mas também disposição. Disposição em se cobrar menos e viver mais, aprendendo a dar menos importância ao que não acrescenta e valorizando o que é real e provido de sentido.

Que a gente possa amadurecer com o coração tranquilo, ciente de que fez tudo o que podia. Que haja riso, parceria e poesia. Que não falte respeito às diferenças e fé diante das adversidades. E que, ao final de tudo isso, possamos olhar pra trás e perceber admirados, que enfim crescemos…



Fabíola Simões
http://www.asomadetodosafetos.com/
Nasceu no sul de Minas, onde cresceu e aprendeu a se conhecer através da escrita. Formada em Odontologia, atualmente vive em Campinas com o marido e o filho. Dentista, mãe e também blogueira, divide seu tempo entre trabalhar num Centro de Saúde, andar de skate com Bernardo, tomar vinho com Luiz, bater papo com sua mãe e, entre um café e outro, escrever no blog. Em 2015 publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos os Afetos" e se prepara para novos desafios. O que vem por aí? Descubra favoritando o blog e seguindo nas outras redes sociais.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Refúgios Urbanos e um delicioso passeio pelos prédios antigos de São Paulo

Neste último sábado dia 04/11 o projeto Prédios de São Paulo nos levou a andar pelo Centro Velho e aprender sobre a história da urbanização e verticalização da área mais fascinante de São Paulo! Foi o último passeio deste ano, mas tem várias atividades muito interessantes  que virão

Tudo começou no escritório da Refúgio Urbanos que fica lá na Benjamin Constant, onde fomos recebidos com carinho e uma decoração deliciosa, que mistura passado e presente com imenso bom gosto.




Depois de conhecermos a história do local, que serviu entre outras coisas como residência de Peixoto Gomide,  (aquele da Rua que fica nos Jardins), pernas pra que te quero, fomos guiados pela história de São Paulo, um mergulho no passado pelas mãos da Débora Fabrício da Viare Travel  e o Almiro Dias da Refúgios Urbanos.

Resultado de imagem para palacete chavantes

Saímos por volta das 9 horas e já tínhamos muita coisa para ver na fachada do prédio da Refúgios - o Palacete Chavantes, da década de 20. A riqueza dos detalhes e entalhes da porta e da fachada.


O elevador é antigo com suas portas pantográficas mas que funcionam automaticamente!!!

Na época ele foi um dos primeiros arranha-céu de São Paulo e continua sendo imponente mesmo tendo “somente” 10 andares.

Seu fascínio maior esta em saber que ele já foi um prédio residencial, transformado posteriormente em comercial na década de 1940.

Foi encomendando pelo fazendeiro e cafeicultor João Batista Mello de Peixoto que adquiriu estas propriedades do casamento com Gneza Peixoto Gomide, filha do Senador Francisco de Assis Peixoto Gomide, o qual possuía fazendas de café também no município de Chavantes. (fonte: Refúgios Urbanos )

São Paulo tem muitas curiosidades e coisas preciosas escondidinhas. Claro que não vou contar o passeio inteiro, até porque quero que vcs tenham o mesmo deslumbramento que eu tive. Mas vou dar um gostinho da "coisa"

Entre outras curiosidades visitamos a Casa Fidalga tradicional casa de calçados onde as pessoas ricas levavam a família para comprar sapatos. E tinha até lugares mais reservados para atendê-las, um luxo!


Edifício Triângulo - painel de Di Cavalcanti


Olha como ele está hoje, nesta semana houve um show de música na cidade e vários prédios históricos foram pixados! 





Edifício Casa das Arcadas é um prédio localizado no distrito da Sé, na esquina da Rua Quintino Bocaiúva com a Rua Benjamim Constant, esse edifício, legítima construção com estilo neoclássico




Inaugurado em 1929, ele foi projetado por Dácio A. de Moraes e Cia. Ltda e pertenceu ao empresário e cafeicultor paulista Armando Álvares Penteado, que dá nome à fundação que hoje é proprietária do local. FAAP.

Hoje ele abriga no mezanino algumas lojas e escritórios, mas foi projetado para ser um grande boulevard onde as mulheres de famílias ricas faziam suas compras.








O que dizer do Palacete Tereza com suas janelas do chão ao teto, tacos de madeira e azulejos originais. O Palacete apresenta uma linguagem eclética, produzindo uma composição do encontro dos estilos renascentista, barroco, maneirista e neoclássico. 





Localizado no número 22 da Rua Quintino Bocaiuva, com laterais para as ruas Direita e José Bonifácio no centro de São Paulo, Brasil. 


Foi projetado por Augusto Fried, arquiteto alemão, que fez obras diversas na cidade de São Paulo. 

O perímetro ficou conhecido como "Triângulo", local em que a cidade se inicia.



Intitulado como "A Esquina Musical de São Paulo", já foi matriz da Rádio Record e casa de inúmeras lojas de instrumentos musicais, entre elas a Casa Bevilacqua e a Editora Irmãos Vitalle.






Ao se mudar do pequeno ponto do Jardim Paulista para o centro, a ótima Casa de Francisca ficou ainda melhor. Agora no majestoso Palacete Teresa Toledo Lara, erguido em 1910, preserva o ar retrô e a famosa arquibancada do endereço original. 






Vejam as maravilhas que muitas vezes passamos e nem notamos, estão aí para serem redescobertas. 



Riqueza nos detalhes,  figuras gregas e romanas, grãos de café e frutas, registram o período da opulência dos Barões do Café.
 
 Prédio que abrigou entre 1924 e 1925 a editora de Monteiro Lobato


   
 Faculdade de Direito
No Pátio do Colégio

Resultado de imagem para banco de são paulo
O Banco de São Paulo
predios-sao-paulo-bsp-2


Resultado de imagem para edifício martinelli

E não podia deixar de falar no Edifício Martinelli

Imponente no triângulo formado pela Rua São Bento, avenida São João e Rua Líbero Badaró, no centro da capital paulista. 

Considerado um mirante, onde é possível observar pontos turísticos de São Paulo.
A construção do edifício começou em 1922 e foi inaugurado às pressas, ainda incompleto, em 1929, com apenas 12 andares, devido a inauguração do Edifício A Noite. A construção do edifício seguiu até 1934. O trabalho terminou quando o edifício tinha 30 andares.

O edifício foi idealizado pelo italiano Giuseppe Martinelli e projetado pelo arquiteto húngaro Vilmos (William) Fillinger. Com 105 metros de altura, foi entre 1934 e 1947 o maior arranha-céu do país e, durante um tempo, o mais alto da América Latina. Gerou grande polêmica, pois, até esse momento, não havia nenhum outro edifício em São Paulo com altura elevada.

Os três últimos andares do primeiro arranha-céu da cidade foram erguidos para servir de residência ao comendador que construiu e batiza o prédio. Ele queria provar que, a despeito da crença generalizada entre os paulistanos na segunda metade da década de 20, aquele gigante de trinta andares e 105 metros de altura não viria abaixo. 

O edifício foi completamente remodelado pelo prefeito Olavo Setúbal em 1975 e reformado novamente em 1979. Atualmente, o prédio abriga órgãos municipais, como a Empresa Municipal de Urbanização de São Paulo (EMURB) e a Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (COHAB-SP), além de várias lojas no piso térreo.

Por incrível que pareça isso é mesmo, apenas um aperitivo, tem muito mais coisas no passeio que começa às 9 e termina às 13.30hs e garanto termina com gostinho de quero mais, viu?

Ah ia esquecendo de dizer, quase todos esses prédios incríveis oferecem visitação gratuita com guias que contam em detalhes a história dessas belezinhas antigas e imponentes até hoje, apesar da decadência do centro de São Paulo, tão abandonado pelas autoridades competentes. Talvez se soubéssemos um pouco mais da nossa história exigiríamos providências de nossos governantes.

Reserve seu passeio 

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Conheça e experimente os efeitos das terapias integrativas e complementares Shiatsu, reiki e reflexologia são algumas das técnicas que o IPq oferecerá à população

No dia 17/11/2017, das 9h às 16h, o IPq - Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP, apresentará na prática os benefícios das terapias integrativas e complementares à saúde física, mental e emocional, com a participação de mais de 100 terapeutas corporais voluntários. Trata-se do Dia Zen IPq, cujo objetivo é disseminar essas técnicas, incluídas na grade terapêutica do Hospital Dia Adultos do IPq há mais de 10 anos, tendo beneficiado mais de 4 mil pacientes.

A ação inclui aulas explicativas prévias sobre cada modalidade (shiatsu, reiki, toque integrativo somato emocional - TISE, quiropraxia, reflexologia, quick massage, auriculoterapia, expressão cinésiorritmica e oficinas de autoestima), e será fornecida declaração de participação. As taxas são simbólicas (R$ 10,00 a R$ 20,00 por modalidade), destinadas à infraestrutura do projeto. Grátis: oficinas de aromas e expressão cinésiorritmica. Confira descrição detalhada de cada modalidade no site do IPq . Inscrições tels. (11) 2661-6980 / 2661-6984 ou e-mail: aparecida.tavares@hc.fm.usp.br


Fotos do Zen IPq realizado em 2016: